Quando falamos em realizar pesquisas na internet, com toda a certeza, podemos afirmar que temos inúmeras opções de mecanismos de buscas, entre eles, podemos destacar o Bing e o Google, os mais tradicionais e conhecidos, no Brasil.

Além disso, quando realizamos uma pesquisa online a primeira coisa que vem à cabeça é: qual  dos motores de buscas irei utilizar (mentira, nós utilizamos o Google, mesmo)? Será que todos eles apresentam os mesmos resultados de pesquisas na internet? Qual é o melhor mecanismo de busca?

Na verdade, é uma pergunta “um pouco” difícil de responder. Neste artigo iremos ajudar você a entender melhor como funcionam os mecanismos de buscas, como também, saber qual deles apresenta o melhor resultado ao fazer as suas pesquisas online, inclusive, saber se realmente existe uma diferença entre as buscas Google e Bing.

Além disso, quem realiza a otimização de sites para os mecanismos de buscas (SEO – Search Engine Optimization) tem como principal fator de decisão na hora de otimizar um site, o Google. Mas, será que isso está correto? Porque deixar o Bing de lado?

Neste artigo, vamos conhecer a diferença, as vantagens e desvantagens entre o Google e o Bing e para facilitar a leitura e a navegação neste artigo, use o sumário abaixo e acesse, rapidamente, o assunto desejado:

O que é um mecanismo de busca?

Um mecanismo de busca ou motor de busca é um software online que tem a finalidade de coletar, armazenar e organizar todo o conteúdo web (sites) em um banco de dados.

Em resumo, ao realizarmos uma pesquisa utilizando um mecanismo de busca, seja ele o Google, Bing ou qualquer outro, eles fornecem uma lista de resultados, em suas SERP’s (Search Engine Results Pages), classificando todos eles por páginas. Os sites que “melhor responde” a pesquisa realizada pelo usuário, são classificados em ordem do “primeiro ao último” resultado.

Tanto o Google como o Bing, para classificar um site em suas SERP’s avaliam vários quesitos para posicionar melhor um site do outro e as páginas web que aparecem na primeira página desses mecanismos de buscas, com certeza, tem um maior volume de acessos.

Esse procedimento de classificação é realizado com o uso de técnicas SEO de otimização de sites para os mecanismos de buscas.

Antes de analisarmos a diferença entre o Google e o Bing, vamos conhecer, de forma resumida, como cada um dos motores de buscas surgiram.

O que é SEO?

SEO é o sigla de Search Engine Optimization – Otimização de Sites para os Mecanismos de Buscas que é a “arte” de melhorar o posicionamento de um site com o uso de estratégias SEO. O profissional responsável por esse tipo de ação é o Consultor SEO.

Esse tipo de ação é realizado com foco em todos os mecanismos de buscas, seja ele o Google, Bing ou qualquer outro e são avaliados inúmeros fatores para um melhor posicionamento de uma página web nas primeiras posições dos motores de buscas. Portanto, ter um consultoria SEO para um site aparecer nas primeiras posições do Google ou do Bing, é fundamental.

Como surgiu o Google?

Em 1995, dois estudantes de ciências da computação da Universidade de Stanford, Larry Page e Sergey Bryn, iniciaram os trabalhos em um programa de computador chamado BackRub – um mecanismo de pesquisa que utilizava a análise de backlinks para rastrear e registrar dados na Internet.

O nome “BackRub” foi derivado da classificação de algoritmos que calculava quantos “backlinks” uma página da Web inclui.

Na verdade, o BackRub era um sistema que coletava dados conhecido como PageRank, onde a finalidade era atribuir a importância de classificação de um site contando o número de páginas, misturando a relevância dessas páginas e vinculando-o à página original.

Em 1999, no mesmo ano em que Bryn e Page abriram os primeiros escritórios do Google em Menlo Park, na Califórnia, em uma garagem de propriedade de Susan Wojcicki, uma das primeiras integrantes da equipe e, agora, diretora executiva do Google.

A nova missão da gigante de buscas era simples e direta: “organizar as informações do mundo e torná-las universalmente acessíveis e úteis“.

Como surgiu o Bing?

Após a fusão do MSN Search e do Windows Live Search, de propriedade da Microsoft, surgiu em 2009, o Microsoft Bing Search, popularmente conhecido como Bing.

A aposta dessa fusão era fazer com o que o “novo” mecanismo de busca da Microsoft revolucionasse as pesquisas da internet, então e ainda dominada pelo Google.

O objetivo era trazer uma nova dinâmica e um formato “diferente” nos resultados de pesquisas, tendo como base o poder da decisão do usuário, com links complementares, interligados a consulta realizada.

Portanto, o objetivo do Bing é exibir um contexto mais próximo do mundo real, em um pesquisa na web.

Ainda em 2009, o Bing fechou uma parceria com o Yahoo, com o objetivo de aumentar a sua fatia no mercado e, consequentemente, ter um meio de monetizar os seus anúncios.

Dessa forma, o mecanismo de busca do Yahoo é alimentado pelo Bing, permitindo assim fazer com o motor de busca da Microsoft tenha uma participação maior no mercado das pesquisas online.

Layout Google x Bing

Uma das “diferenças” mais significativas entre os mecanismos de buscas Google e Bing são os layouts de ambos.

Ao realizarmos uma pesquisa usando o Google, ao digitarmos www.google.com.br, no navegador de sua preferência, a empresa fundada por Larry Page e Sergey Brin, nos apresenta um layout limpo, com a caixa de pesquisa e os botões “Pesquisa Google” e “Estou com sorte”. Lembrando que o último, exibe o primeiro resultado da sua pesquisa de forma direta.

Outras opções de pesquisas poderão ser encontradas no canto superior direito, com o uso do botão Google Apps, fazendo com que alguns usuários tenham dificuldades em realizar uma pesquisa inicial de imagens, vídeos e outras.

Um ponto positivo em relação as pesquisas Google é o fato dele permitir utilizar comandos de voz ao realizar a sua pesquisa.

Layout Google
Layout Google

Layout Bing Search

Por sua vez, ao abrirmos o buscador da Microsoft, digitando www.bing.com.br, podemos notar logo de cara, que o Bing nos dá todas as ferramentas de pesquisas existentes. Onde podemos pesquisar de forma rápida na Web (por texto), Imagens, Vídeos, Mapas, …

Layout Bing Search
Layout Bing Search

O destaque negativo fica por conta da poluição visual, em relação ao layout do Bing Search, com uma imagem de fundo, que em algumas ocasiões poderá confundir o usuário. O destaque positivo para o buscador da Microsoft é permitir realizar uma pesquisa usando uma imagem, salva em seu PC, direto em sua caixa de busca.

Retorno da Pesquisa – Google x Bing

Em uma pesquisa simples, sem nenhuma restrição, utilizando o termo “Descobrimento do Brasil”, sem aspas, o total de resultados encontrados foram:

  • Google: 2.660.000
  • Bing: 2.590.000

Vale lembrar que esses números levam em consideração vários fatores, como sites ativos, existência do termo pesquisado e muito mais. E que esses valores, a cada nova pesquisa, poderão ser alterados, tanto nas buscas Google como no Bing.

Pesquisa segmentada

A mesma pesquisa realizada anteriormente, com o uso das aspas, em ambos os mecanismos de buscas, permite segmentar os resultados. Dessa forma, temos os seguintes números:

  • Google: 642.000
  • Bing: 1.450.00.000

Tendo como base os números acima, podemos afirmar que o Google “descartou” inúmeros resultados que não correspondem a pesquisa desejada.

Os 10 primeiros resultados

De cara, o Google mostrou-se mais simplório, trazendo resultados somente para o termo pesquisado.

Google Pesquisa - Descobrimento do Brasil
Google Pesquisa – Descobrimento do Brasil

O Bing por sua vez, fora os resultados da pesquisa, exibiu também imagens e vídeos, relacionados ao termo “Descobrimento do Brasil”. Além disso, o motor de busca da Microsoft foi além, exibindo em destaque outras informações complementares, ao termo pesquisado.

Bing Pesquisa - Descobrimento do Brasil
Bing Pesquisa – Descobrimento do Brasil

Analisando a primeira página, dos 10 (dez) resultados da pesquisa, onde 05 (cinco) foram iguais. O Bing, “parece” que considerou a semântica do conteúdo, como um todo para exibir os resultados de pesquisas.

Entretanto, o Google, deu destaque a portais tradicionais, em sua busca, no caso, o UOL, como também, sites que possuem boa visitação em relação a outros termos de busca. Algo que podemos dizer, como “fonte confiável”, mas que, às vezes, pode não condizer com a real intenção do usuário.

Nesse aspecto, o Bing foi uma fonte de pesquisa mais confiável.

Termos relacionados na pesquisa

Sempre que pesquisamos algo em ambos os buscadores, são exibidos outros termos relacionados a pesquisa. Apesar de todos terem trazido termos relacionados ao conteúdo pesquisado, ambos trouxeram alguns termos diferenciados, mesmo assim, relacionados com a busca.

Ao realizar uma pesquisa popular como a “cotação do dólar hoje”, ambos os mecanismos de buscas retornam a informação desejada, em suas SERP’s. Inclusive, exibem notícias atualizadas em relação ao termo de pesquisa. O mais interessante é o gráfico com a variação do dólar, exibido pelo Google.

Nesse aspecto, o Google mostra-se mais produtivo, pois exibe um gráfico e permite, através dele, a segmentação de datas, de forma fácil.

Google - termo de pesquisa "cotação do dólar"
Google – termo de pesquisa “cotação do dólar”
Bing - termo de pesquisa "cotação do dólar"
Bing – termo de pesquisa “cotação do dólar”

Entretanto, ao pesquisarmos somente “dólar”, praticamente ambos tem o mesmo comportamento. Onde, o gráfico de variação do dólar mostra-se mais intuitivo no Bing.

Bing - termo de pesquisa "dólar"
Bing – termo de pesquisa “dólar”

Pesquisa local – Google x Bing

A pesquisa local é uma das tendências atuais nos mecanismos de buscas. O objetivo desse tipo de busca é localizar uma marca, produto ou prestação de serviços através da Geo-Localização, sendo muito utilizado em dispositivos móveis.

Nesse aspecto, o Google informa, praticamente, todas as marcas que estão próximas do dispositivo utilizado para pesquisa, seja ele PC ou dispositivo móvel.

Em relação ao Bing, pelas pesquisas realizadas, ele mostra-se ineficiente nesse aspecto, não respeitando a geo-localização do usuário.

Conclusão: Qual a diferença entre o Google e o Bing? Qual dos dois é melhor?

Tanto o Google como o Bing cumprem o que prometem, portanto a diferença entre ambos os mecanismos de buscas está em uma melhor experiência do usuário. Nesse aspecto, podemos afirmar que a facilidade de uso geral do Bing é melhor para um pessoa inexperiente.

Além disso, para pesquisas escolares e cientificas, os resultados da busca Bing, são melhores do que o Google. Em contra-partida, a busca Google, oferece uma “exatidão” melhor quando pesquisamos temas com base na geo-localização, como uma pizzaria, por exemplo.

Portanto, para dizer que um é melhor do que o outro, dependerá muito do que o usuário necessita em suas buscas.

Inclusive, o Google, adota um conjunto de técnicas que priorizam sites mais conhecidos e com uma “autoridade maior“, na web. Dessa forma, ele passa a credibilidade para os sites e não para o seu mecanismo de busca. Permitindo inclusive, favorecer sites que não retratam, da forma correta, a pesquisa feita pelo usuário. Independente disso, ambos respondem fielmente a sua pesquisa e não influenciam no resultado final.

Pelo fato de cada dos motores de buscas, tanto o Bing como o Google, terem comportados distintos em relação a determinados termos de pesquisas, podemos afirmar que ambos são semelhantes. No entanto, existem duas exceções, para uso escolar o Bing se sai melhor, para uso local, a resposta do Google é quase precisa.

E você, ao realizar uma pesquisa utilizando o Google ou o Bing, sente alguma diferença. Qual deles é melhor? Conte-nos um pouco da sua experiência.

Gostou do nosso artigo, “Qual a diferença entre o Google e o Bing?“. Deixe o seu comentário, curta a nossa página nas redes sociais e compartilhe este artigo.

Influenciador digital e amante da tecnologia. Quer saber como ter um negócio lucrativo na internet? Então, siga o meu perfil.

Deixe o seu comentário