São Paulo – SP 6/9/2021 –

Assim como em vários outros setores, o tratamento pelo qual a água passa na indústria farmacêutica e cosmética é fundamental para o resultado final dos produtos.

As soluções de filtração da água são necessárias em diversos segmentos, mesmo que muitos ainda não tenham se dado conta disso. As indústrias farmacêuticas e cosmética são exemplos disso. A filtração nesses casos é fundamental, pois a água é um solvente universal que pode carregar substâncias indesejadas e comprometer não somente a qualidade dos produtos, mas também a vida útil dos sistemas de tratamento.

O tratamento pelo qual a água passa na indústria farmacêutica e cosmética é o que a torna própria para essa finalidade. Sem contaminantes ou qualquer tipo de substância, a qualidade dos medicamentos e cosméticos não fica comprometida, sem contar no aumento da durabilidade dos equipamentos. É o que afirma o gerente da Asstefil, empresa especialista em sistemas de tratamento de água e filtragem. “Independentemente da finalidade dentro da indústria, os sistemas de filtração de água são implantados e atuam na remoção de qualquer substância indesejada, como: sais minerais, partículas sólidas e microrganismos”, disse Fabio de Oliveira.

O executivo ainda lembrou que além da produção dos medicamentos e cosméticos, a água também é amplamente utilizada em ações secundárias. “É importante compreender que a água também tem um importante papel paralelo aos processos de produção, como na limpeza de materiais e superfícies”, reforçou.

Questionado sobre o desenvolvimento de soluções de filtração de água específicas para a indústria farmacêutica e cosmética, Oliveira ponderou que o principal foco é oferecer ao mercado algo capaz de melhorar a eficiência de água, favorecendo a confecção de itens de plena qualidade para o consumidor. “Entre as tecnologias que recomendamos à indústria farmacêutica e cosmética estão a eletrodeionização, a osmose reversa e a ultrafiltração”, afirmou.

Cada processo possui um método. “A eletrodeionização remove os íons da água, utilizando resinas de permuta iônica e membranas de seleção iônica com corrente contínua. A osmose reversa é usada para obtenção de água pré-purificada de alta qualidade, para muitas aplicações rotineiras de laboratório. Já a ultrafiltração é uma tecnologia que consegue remover minúsculas partículas por meio de filtros de membrana com diâmetros de poros”, explicou Oliveira.

O gerente da Asstefil disse ainda que a escolha do método varia de acordo com a qualidade desejada para a água, além de que a manutenção desses sistemas também é de fundamental importância, uma vez que sua falha pode ocasionar uma série de complicações indesejadas. “Na hora de escolher o filtro é muito importante analisar a procedência, a eficácia e também a facilidade de manuseio e manutenção, para que futuramente os problemas não se agravem”, orienta.

Isso reforça o quanto estar atento ao tratamento da água na indústria farmacêutica e cosmética é importante, bem como a escolha correta dos equipamentos pode ajudar. “Avaliar esses dois pontos certamente irá garantir um produto de qualidade muito superior, podendo, inclusive, se tornar um diferencial competitivo da empresa no mercado”, finalizou Fabio de Oliveira.

Website: https://asstefil.com.br/

Deixe o seu comentário