Campinas, SP 29/9/2021 – Simuladores de instalação de piso podem levar à economia de tempo em pesquisas, garantindo a satisfação do cliente que consegue ver antecipadamente o resultado

Ferramentas de IA (Inteligência Artificial) podem ser utilizadas no design de projetos, na prevenção de acidentes, na robotização de canteiros e na simulação do uso de materiais; pesquisa aponta que empresas que usam a IA em seus projetos podem gerar 50% a mais de lucro

Em uma sociedade cada vez mais digital, com a tecnologia presente em diferentes esferas das relações sociais, afetivas e laborais, são raros os exemplos de setores da economia que prescindem de ferramentas não analógicas, ou que ainda estão em um estágio inicial na adoção delas. É o caso do setor da Construção Civil, que segundo um estudo da consultoria empresarial estadunidense McKinsey realizado em 2017, só ficou à frente da Pesca e Agricultura no ranking que avaliou o uso de tecnologia para a obtenção de ganhos de valor e produtividade na economia brasileira.

Apesar disso, diversas ferramentas de inovação têm sido desenvolvidas no setor nos últimos anos, possibilitando que seja vislumbrado um cenário otimista para a década recém-inaugurada: de acordo com a pesquisa “O impacto da IA no mercado de trabalho”, realizada pela consultoria americana DuckerFrontier a pedido da Microsoft, a adoção máxima da Inteligência Artificial (IA) na Construção Civil no Brasil poderá impactar no crescimento de 42% de novas vagas no setor até o ano 2030 em comparação com as estimativas feitas pelo Banco Mundial e o FMI.

A Inteligência Artificial (IA) é um conceito usado para descrever o uso de máquinas e tecnologias no desempenho de atividades que repetem funções cognitivas humanas, como resolução de problemas, reconhecimento de padrões e aprendizado. Na Construção Civil, a IA pode ser utilizada, entre outras funções, no design de projetos, na melhoria da experiência do cliente, na prevenção de acidentes, na robotização de canteiros e na simulação do uso de materiais.

De acordo com estudo realizado em 2018 pela McKinsey, em que foi pesquisada, de forma específica, a relação entre a Inteligência Artificial e o setor de Construção Civil em âmbito global, constatou-se que empresas que aplicam a IA a seus projetos podem gerar 50% a mais de lucro em relação àquelas que não o fazem.

Simulação de instalação de pisos em construções e reformas de imóveis

O segmento da Construção Civil permanece como um dos menos desenvolvidos no quesito tecnologia, mas ainda assim, o setor tradicional está evoluindo, fazendo com que surjam startups no setor, chamadas de Construtec.

Uma destas utilizações que têm ganhado força no mercado brasileiro é a simulação da utilização de pisos em construções ou reformas de imóveis por parte dos fabricantes de pisos e revestimentos.  A ferramenta permite que o consumidor possa simular o uso de pisos de diferentes cores, tamanhos e materiais para, então, escolher a melhor opção. 

A tecnologia empregada nesta simulação permite que, a partir da foto de um ambiente, seja detectada com precisão a área do solo em que será aplicado o piso, para que o cliente –  em seguida – possa fazer a escolha do material de sua preferência. 

Luane Araujo, Gerente de Projetos e Inovação da Hausz, startup considerada a primeira Construtec do varejo brasileiro, comenta que, muitas vezes, ferramentas – como o simulador de pisos – desenvolvidas inicialmente para profissionais de arquitetura, são ideais para serem utilizadas por pessoas que estão construindo ou reformando seus imóveis.

“Nós observamos que o público que está reformando ou construindo passa horas estudando e pesquisando dezenas de pisos para o seu ambiente. O uso do simulador pode, então, economizar tempo em pesquisas sobre qual o piso ideal, e garantir a satisfação do cliente que consegue ver antecipadamente o resultado”, diz a profissional.

As novas possibilidades geradas pela IA no contexto de construção e reforma de imóveis se dão em um momento de aquecimento da Construção Civil: estima-se que o setor cresça 4% neste ano, o maior índice desde 2013, segundo o estudo Desempenho Econômico da Indústria da Construção do 2º Trimestre de 2021, realizado pela CBIC.

Luane ainda reforça que empresas como a Hausz devem investir cada vez mais em tecnologias, utilizando a IA na maior quantidade de setores possíveis: marketing, logística, financeiro, etc. Isso para que a entrega ao cliente e o crescimento do mercado sejam cada vez mais positivos. 

Para saber mais, basta acessar o link: https://www.hausz.com.br/

Website: https://www.hausz.com.br/

Deixe o seu comentário