Com o tema ‘Saúde do Cérebro para todos’, a Federação Mundial de Neurologia – World Federation of Neurology (WFN) celebra, em 22 de julho, o 9º Dia Mundial do Cérebro (WBD). Segundo a entidade, o tema abrangente visa desencadear um esforço universal para o compartilhamento de informações necessárias para reduzir a carga de distúrbios cerebrais em toda a população do planeta. Afinal, uma melhor saúde cerebral começa com uma maior consciência do que significa manter um cérebro saudável e com a compreensão global do importante papel do cérebro para a vida da humanidade.

Distúrbios cerebrais afetam bilhões de pessoas em todo o mundo e são a principal causa de incapacidade. Por isso, a campanha WBD 2022 se concentrará em cinco mensagens principais: a saúde do cérebro é vital para o bem-estar mental, social e físico; muitas doenças cerebrais são evitáveis; esforços globais são necessários para uma saúde cerebral ideal; educação para todos é fundamental para a saúde do cérebro; o acesso equitativo a recursos, tratamento e reabilitação é essencial para a saúde do cérebro.

O cérebro humano possui aproximadamente 100 bilhões de neurônios, com cerca de 10 trilhões de conexões entre eles. Por ser o centro de comandos do corpo humano, o cérebro controla todas as funções do organismo que permitem ao ser humano ler, escrever, aprender, planejar, pensar, sentir, movimentar-se e resolver problemas. Os estudos sobre o cérebro humano ainda não conseguiram desvendar todos os segredos desse órgão vital, entretanto, nas últimas décadas os cientistas descobriram que há uma estreita conexão entre o cérebro e o intestino que pode ser fundamental para a saúde.

Desde que o professor e pesquisador Michael D. Gershon, da Columbia University, nos Estados Unidos, lançou o livro The Second Brain (O Segundo Cérebro), em 1999, mostrando que as células nervosas no intestino agiam como um verdadeiro cérebro, o conhecimento sobre o eixo cérebro-intestino-microbiota só expandiu. Essas conexões ocorrem porque o trato gastrointestinal humano tem um sistema nervoso próprio totalmente especializado para as funções intestinais – o sistema nervoso entérico (SNE) – que começa no esôfago e termina no ânus, possui aproximadamente 100 milhões de neurônios (número próximo à quantidade de neurônios da medula espinhal) e é capaz de controlar o trato gastrointestinal mesmo se as conexões com o sistema nervoso central forem interrompidas.

Os estudos científicos realizados até agora têm conseguido demonstrar que o intestino saudável impulsiona o bem-estar psicológico e pode ser um fator fundamental para evitar transtornos psiquiátricos, neurológicos e de desenvolvimento, a exemplo de depressão, ansiedade, esquizofrenia, transtorno bipolar, doenças de Parkinson e Alzheimer, e até mesmo o transtorno do espectro autista. Boa parte das pesquisas sugere que as bactérias intestinais podem ser um gatilho para o desenvolvimento de transtornos neuropsiquiátricos por influenciar o sistema nervoso central, o desenvolvimento de células nervosas e a formação de circuitos de estresse. Além disso, os cientistas consideram a possibilidade de que os microrganismos probióticos podem afetar a emoção ao modular o eixo microbiota-intestino-cérebro trazendo, assim, benefícios para a saúde geral.

Um dos probióticos mais estudados é o Lactobacillus casei Shirota, cepa exclusiva da Yakult. No Instituto Central Yakult, localizado no Japão, são realizados inúmeros estudos com esse microrganismo descoberto em 1935 e que é a base dos leites fermentados da empresa. Sabe-se que a exposição ao estresse psicológico pode levar a vários sintomas relacionados a angústias mentais, e um deles é o distúrbio do sono. Para investigar se o L. casei Shirota poderia trazer alívio na ansiedade e melhorar o sono durante situações estressantes, pesquisadores do Instituto Central Yakult conduziram um estudo duplo-cego, randomizado e placebo controlado com estudantes do 4º ano de Medicina da Universidade de Tokushima, no Japão, que estavam se preparando para um exame de qualificação nacional. Os 94 participantes foram aleatoriamente alocados no grupo LcS ou placebo e ingeriram uma dose diária de 100ml de leite fermentado contendo L. casei Shirota por 11 semanas. Os resultados sugerem que o consumo diário do probiótico pode ajudar a manter a percepção da qualidade do sono durante o período de aumento de estresse por prevenir uma diminuição na porcentagem de sono N3 e aumentar a onda delta.

Em outro experimento com os mesmos estudantes, os pesquisadores avaliaram a disfunção abdominal induzida pelo estresse em um estudo duplo-cego controlado por placebo. Durante oito semanas que antecediam o exame, 23 e 24 alunos consumiram respectivamente um leite fermentado com L. casei Shirota e placebo diariamente. Além das avaliações de sintomas abdominais, estado psicofísico e marcadores de estresse salivar, as alterações da expressão gênica em leucócitos do sangue periférico e a composição da microbiota intestinal foram analisadas. Os resultados indicam que o consumo diário do probiótico L. casei Shirota preserva a diversidade da microbiota intestinal e pode aliviar as respostas de disfunção abdominal associadas ao estresse em indivíduos saudáveis ​​expostos a situações estressantes.

Mais informações
Com 87 anos de fundação completados em 2022, a Yakult Honsha é líder global no segmento de leite fermentado – produto que é o carro-chefe da empresa em nível mundial. Desde que o médico Minoru Shirota criou o leite fermentado com o exclusivo probiótico Lactobacillus casei Shirota, em 1935, e fundou a Yakult, em 1955, a empresa investe no desenvolvimento e aprimoramento de alimentos que possam ajudar na manutenção da saúde de consumidores de todas as idades. A Yakult atua em 40 países e regiões, e mais de 40 milhões de pessoas consomem Leite Fermentado Yakult com Lactobacillus casei Shirota diariamente (resultado de 2020). Para outras informações, basta acessar o site www.yakult.com.br ou as redes sociais da empresa: Facebook/yakultbrasiloficial, Instagram@yakultbrasil e TikTok@yakultbrasil.

Sem categoria