São Paulo 20/7/2020 – Com a medida do distanciamento social, o Instituto interrompeu imediatamente as atividades. Naquele primeiro momento a segurança era primordial

São propostas esportivas e culturais disponibilizadas no YouTube

Diante do distanciamento social, devido à pandemia de Covid-19, diversas organizações sociais tiveram suas atividades interrompidas como medida para diminuir o contágio. Muitos projetos e oficinas de arte, esporte e música, deixaram de ser aplicadas, alterando o dia a dia de milhares de crianças e adolescentes, principalmente.

O Instituto Olga Kos (IOK), que atende em São Paulo cerca de 3 mil crianças, adolescentes e adultos,  com deficiência intelectual por meio de projetos culturais e esportivos, além de pessoas sem deficiência, que se encontram em situação de vulnerabilidade social, encontrou uma saída na internet para apoiar seus atendidos e também diversas famílias.

“Com a medida do distanciamento social, o Instituto interrompeu imediatamente as atividades. Naquele primeiro momento a segurança dos nossos atendidos era primordial. Porém, sabemos da importância da rotina, principalmente para parte dos nossos beneficiários que requerem um olhar mais atento, devido à importância de estímulos para o desenvolvimento físico e intelectual”, afirma Silvia Liz, responsável pelo departamento de cultura do Instituto Olga Kos.

Assim, o IOK produziu uma série de conteúdos com propostas de diversos exercícios. Os materiais, que seguem a metodologia da organização, foram disponibilizados no YouTube para serem praticados em casa, de forma simples, junto a família.

Um bom exemplo é o Luis Felipe, 11 anos, que tem Síndrome de Down. Ele participa do IOK há seis anos, fazendo atividades artísticas e musicalização. “Com a interrupção das oficinas presenciais, o Luis Felipe estranhou a nova rotina de ficar apenas em casa. Ele tinha uma vida bastante ativa com saídas para cinema, teatro, passeios ao ar livre, além das atividades do instituto. Com as aulas online foi possível perceber que o Luis Felipe ficou mais alegre, disposto”, afirma Eliane Neto Silva, mãe do menino.

Os resultados são satisfatórios. “É gratificante receber os vídeos de cada participante realizando a nossa proposta em casa. É muito bom saber que seguimos pelo melhor caminho”, afirma Silvia.

Website: http://institutoolgakos.org.br/

Deixe o seu comentário