São Paulo – SP 20/12/2021 – A ONU declarou que 2022 será o Ano Internacional do Vidro, a fim de enfatizar a importância do material para a humanidade e ainda ser o único 100% reciclável.

As diferentes técnicas para produzir o material 100% reciclável, e seus usos variados conferem protagonismo ao vidro desde a arte e arquitetura até seu uso no cotidiano de variadas culturas pelo mundo

Os primeiros pensamentos que surgem ao falar sobre vidro são peças translúcidas e delicadas, como copos, janelas, lentes de óculos, telas de celulares, para-brisas de carros, entre outros. As utilizações do vidro são infinitas e extremamente versáteis, fazendo dele uma presença certeira no cotidiano. Considerando essas diferentes contribuições, a Organização das Nações Unidas (ONU) declarou que 2022 será o Ano Internacional do Vidro, a fim de enfatizar a importância tecnológica, científica, cultural e econômica desse material que, além de possuir extrema importância para a humanidade ao longo dos séculos, também é o único 100% reciclável. 

O emprego do vidro vai muito além da praticidade no dia a dia, especialmente quando se trata do vidro soprado. Moldado de maneira artesanal, lenta e cuidadosamente, a técnica consiste em utilizar uma massa de vidro fundido a aproximadamente 1400°C, na ponta de um tubo metálico que permite que o artesão assopre e dê o formato desejado à peça. 

Atualmente, é possível encontrar peças de vidro soprado com diversas origens e formas, como vasos, jarros, lustres, copos, taças e esculturas. Cada obra se torna única, recebendo caráter funcional, mas também decorativo e artístico, tendo inclusive diversos museus espalhados pelo mundo que se dedicam a exibir itens de vidro e documentar a produção e desenvolvimento desse material. 

Mestres vidreiros, artesãos e designers estudam esse elemento e permanecem atualizando seus modos de produção. Um desses nomes é a canadense Katherine Gray, que além de ser reconhecida internacionalmente por suas obras expostas pelos Estados Unidos, Dinamarca e Alemanha, é também a jurada principal da série Vidrados, da Netflix, uma competição para determinar o melhor artesão de vidro soprado dentre os participantes. Nele, é possível entender a criação das obras e a trajetória hipnótica da fabricação das peças, desde a ideia inicial, passando pela fabricação e moldagem, que pode ser a partir de diferentes técnicas como sopro livre ou em molde, compressão, centrifugação, entre outras. 

Dentre os grandes pólos de produção de vidro soprado está o Japão, com destaque para a criação de peças feitas a partir do estilo chamado Edo Glass, o qual utiliza até hoje os conceitos tradicionais desenvolvidos no período Edo (séc. XVII a XIX). Os artesãos situados em Tóquio fabricam praticamente todo tipo de objeto utilitário de vidro a partir do conjunto de técnicas que compõem esse estilo como vasos, pratos, copos e hashis, por exemplo.  

Pensando na relevância cotidiana do uso do vidro, no caráter artístico e no potencial de união entre tradição e inovação desse material, a Japan House São Paulo trouxe para o Brasil o projeto Sopros, com duas mostras conjuntas que revelam a evolução do tradicional para o contemporâneo por meio de artigos em vidro produzidos por artesãos japoneses. São mais de 300 objetos utilitários como copos, vasos, pratos e pesos de papel, além de outros itens menos conhecidos pelo público brasileiro, como descansos para hashis e porta-onigiri (tradicional bolinho de arroz japonês).  

O projeto apresenta peças de cinco fábricas japonesas: Iwasawa Glass Co., Nakakin Glass Inc., Sugahara Glassworks Inc., Tajima Glass Co., eToyo-Sasaki Glass Co., Ltd.. A exposição Sopros fica em cartaz para visitação gratuita até 6 de março de 2022, na sede da instituição nipônica na Avenida Paulista, como uma excelente oportunidade de conhecer mais sobre o universo dos vidros. 

 

Serviço:  

Exposição “Sopros – designs de vidro japonês”
Térreo  

Exposição “Edo Glass: técnicas tradicionais de vidro”
Primeiro andar 
Período: de 15 de dezembro de 2021 a 6 de março de 2022 
Reserva online antecipada (opcional): https://agendamento.japanhousesp.com.br/  
A exposição conta com recursos de acessibilidade.    

Japan House São Paulo – Avenida Paulista, 52  
Horário de funcionamento: terça a sexta, das 10h às 18h; sábados, das 9h às 19h; domingos e feriados, das 9h às 18h. 
Entrada gratuita 
※Devido ao coronavírus, a Japan House São Paulo opera com capacidade reduzida. Mais informações no site da institição.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Website: http://www.japanhousesp.com.br

Deixe o seu comentário