Uberlândia – MG 3/12/2021 –

Os cuidados na atenção terciária à saúde e a sustentabilidade dos projetos educacionais e sociais são os próximos desafios.

Nos últimos meses, frente aos desafios da pandemia de Covid-19, a Organização da Sociedade Civil (OSC) Missão Sal da Terra consolidou sua posição de prestar assistência integral às pessoas, assumindo, a convite da Prefeitura Municipal de Uberlândia (PMU), a gestão de um centro de internação para casos leves e moderados da doença. A OSC transformou, em 12 dias, uma pousada em um centro de internação com toda a estrutura necessária para que os pacientes referenciados das unidades de saúde fossem atendidos por uma equipe multidisciplinar, transformando a vida de mais de 2.700 famílias.

A atuação da Missão na área de saúde iniciou em 2007, na atenção secundária, com a gestão da UAI São Jorge, seguida pela UAI Pampulha três anos depois. Já em 2012, a OSC assumiu integralmente as Unidades Básicas de Saúde da Família do setor sul de Uberlândia, iniciando assim a experiência com a atenção primária em saúde, integrando a atenção primária e secundária.

“A experiência que foi adquirida ao longo dos anos na atenção secundária nos deu condições de fazer uma boa gestão na atenção terciária. Por mais que o Centro de Internação fosse um projeto temporário, a Missão conseguiu adequar e adaptar os fluxos da atenção secundária para que pudessem, então, serem aplicados na terciária, onde temos conseguido resultados importantíssimos e muitas vidas transformadas”, diz o diretor da saúde Arthur Pereira.

Em 2021, a Missão Sal da Terra iniciou a gestão do Centro de Internação Pediátrico da PMU, também na área de atenção terciária. Neste mesmo ano, assumiu mais duas unidades de saúde: o CMAD, unidade voltada ao cuidado e tratamento de pacientes com diabetes, e o Campus Municipal de Atendimento à Pessoa com Deficiência, uma unidade de saúde com interface com a educação e atendimento multiprofissional a pessoas com deficiência grave e severa e, também, atendimento aos estudantes com deficiência da rede de ensino municipal de Uberlândia.

A atuação da ONG nesses anos difíceis resume os mais de 40 anos dedicados à gestão em saúde, social e à educação. “Uma curiosidade é que iniciamos como uma banda de música, reunindo adolescentes e jovens para cantar letras que propagassem o amor de Deus. Mas com o tempo percebemos que só falar desse amor não era suficiente para expressar esta grandeza. Queríamos fazer algo prático e assim surgiu a Missão Sal da Terra, com projetos sociais e educacionais voltados para acolher crianças em situação de rua”, explica o um dos fundadores da Missão Sal da Terra César Pereira.

Vale lembrar que, na década de 90, a Missão Sal da Terra atuou nos pilares de educação e amparo social, assumindo inicialmente a gestão da creche Sérgio Henrique Martinelli, no bairro Vigilato Pereira, e logo em seguida vieram outras unidades, Parque São Jorge II, Jardim Canaã, Morumbi e Jardim das Palmeiras, somando 5 escolas de Educação Infantil que passaram a denominar “Centros Educacionais” totalizando 490 crianças, até o ano de 2015. De acordo com a diretora da educação Noemi Mendes, a partir de 2016 ocorreu um crescimento significativo quando inauguraram o Centro Educacional Helder Castro de Bastos, no bairro Shopping Park com 243 crianças atendidas. “Depois dessa experiência, recebemos o convite da PMU para assumir dois EMEIS, totalizando 800 crianças, nos residenciais Pequis e Monte Hebron”, diz a diretora. Atualmente a Missão Sal da Terra é responsável pela gestão de oito Centros Educacionais para crianças de quatro meses a cinco anos, mais de 1500 crianças atendidas. Na área social, os principais projetos são duas instituições de acolhimento masculino e feminino para adolescentes, o serviço de família acolhedora e o serviço de apadrinhamento.

Website: https://www.missaosaldaterra.org.br/

Deixe o seu comentário