Curitiba, PR 12/1/2022 – A ideia é democratizar o acesso ao ensino, fortalecer a formação de estudantes que querem seguir a carreira jurídica e oferecer um modelo de ensino moderno

Bolsas de instituições públicos e privadas dão oportunidade para jovens continuarem estudando mesmo em época de crise

O Brasil enfrenta uma situação econômica crítica nos últimos anos, especialmente após a pandemia do novo coronavírus no início de 2020. De acordo com análises do Fundo Monetário Internacional (FMI) e de consultorias brasileiras, a economia brasileira deverá crescer entre 0,8% e 1,9% em 2022. Para comparação, a média de crescimento para os países emergentes tem previsão de 5,1%. Com inflação alta e poucas oportunidades, um dos principais grupos a sofrer com a recessão são os estudantes, já que o perfil desses jovens é de pessoas que estudam em instituições privadas à noite, fizeram o ensino médio em escola pública, moram com os pais e precisam trabalhar para ter uma renda de até dois salários mínimos. Com um cenário negativo e desemprego em alta, estudar para melhorar de vida começa a ser inviável. Para isso, uma das possibilidades é buscar bolsas de estudo em instituições públicas e privadas. 

“Fazer faculdade é o sonho de muitos brasileiros. Quando investimos em educação estamos investindo no progresso do país e da sociedade. O problema é que, com a situação econômica atual, muitos jovens tiveram que parar de estudar por falta de renda para custear mensalidades que podem chegar a mais de R$ 5 mil. Por isso diversas iniciativas públicas e privadas vêm crescendo no Brasil a fim de fomentar a educação e consequentemente melhorar a economia”, analisa Helcio Kronberg, idealizador da Faculdade Pan-Americana de Administração e Direito. A instituição iniciou os processos seletivos para o curso de Direito 2022 e anunciou a oferta de bolsas de estudo integrais para todo o curso no período matutino. Serão 90 bolsas e o pré-requisito é ter obtido nota mínima de 700 pontos no Enem 2021 e concluído o Ensino Médio também neste ano. A bolsa vale para os 10 semestres (5 anos). As inscrições começam no dia seguinte à publicação do resultado do Enem 2021.

Iniciativas públicas 

O Programa Universidade para Todos (ProUni), do governo federal, oferece bolsas integrais e parciais anualmente. O objetivo é ajudar alunos de famílias que têm baixa renda a pagar uma faculdade particular. Além de cumprir requisitos de renda, para se inscrever é obrigatório ter feito o último Enem. O desempenho mínimo exigido é de 450 pontos na média das provas e nota maior que zero na redação. Em 2021, o Enem foi aplicado em novembro e o resultado está previsto para 11 de fevereiro.

Outra alternativa é o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). Criado pelo governo federal em 1999, é um programa do Ministério da Educação (MEC) que viabiliza o ingresso ao ensino superior. Destinado ao financiamento da graduação de estudantes que não têm condições de pagar as mensalidades das faculdades da rede de ensino privada. Como se trata de um empréstimo, ao concluir o curso, o estudante beneficiário terá de pagar a dívida. 

Website: https://www.fapad.edu.br/

Deixe o seu comentário