São Paulo, SP 9/11/2021 – Muitos pacientes chegam em estado avançado de saúde. São homens adultos, que mesmo conhecendo as consequências, têm preconceito com os métodos de diagnóstico.

As estimativas são do Instituto Nacional do Câncer (INCA). A campanha Novembro Azul deste ano quer sensibilizar os homens que deixaram de procurar atendimento por conta da pandemia, como mostram dados do Ministério da Saúde solicitados pela Sociedade Brasileira de Urologia.

Segunda doença que mais afeta homens no Brasil, perdendo apenas para o melanoma de pele, o câncer de próstata é o tema da campanha que todo mês de novembro faz um apelo para que homens procurem as unidades de saúde para fazer exames que possam detectar o problema precocemente. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer, pelo menos 66 mil casos deverão ser diagnosticados em 2021. Neste ano, a campanha Novembro Azul quer sensibilizar os homens que deixaram de procurar atendimento por conta da pandemia do novo coronavírus.

Segundo dados do Ministério da Saúde solicitados pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), na comparação entre 2019 e 2020, primeiro ano da pandemia, houve no país uma redução de 21,5% das cirurgias para retirada da próstata por câncer. Pilares do diagnóstico precoce contra a doença, a coleta de PSA e de biópsia da próstata, que junto com o toque retal são capazes de diagnosticar o problema, tiveram quedas de 27% e 21%, respectivamente.

Para completar o atraso que a pandemia causou à sensibilização de homens para se protegerem, o número de consultas urológicas no Sistema Único de Saúde (SUS) também caiu 33,5%, assim como as internações de pacientes diagnosticados com esse tipo de câncer, que teve redução de 17,7% no ano passado. Os dados do MS, conforme verificou a SBU, mostraram ainda que as consultas com um urologista em 2021 continuam baixas. Até julho, foram realizadas 1.812.982. Em 2019, foram 4.232.293 e em 2020, 2.816.326. Essa baixa procura por atendimento significa que muitos casos podem nem ter sido diagnosticados.

A Covid-19 só veio piorar uma realidade que já não era a ideal. O tabu ainda é um fator que dificulta a procura por atendimento precoce contra o câncer de próstata, o que aumenta as chances de sobrevivência. É realidade que os homens costumam procurar as unidades de saúde quando a doença já está em estado avançado. Há setes anos atuando diretamente em urgências e emergências de hospitais e unidades de saúde, o médico Eric Martin Mendoza Arevalo presenciou vários casos. “São pacientes que chegam em estado avançado de saúde. Muitos são casos de negligência de homens adultos, que mesmo conhecendo as consequências, têm um preconceito com os métodos de diagnóstico realizado durante a consulta de rotina para maiores de 50 anos”, comenta.

Arevalo lembra que esse comportamento dos homens ainda está ligado a uma cultura de só procurar atendimento médico em último caso, geralmente, quando estão com dificuldade para urinar ou urinando sangue. Defensor do atendimento focado em escuta ativa dos pacientes, o médico atuante no SUS relata que, em sua experiência, o primeiro contato dos homens com os atendentes e profissionais de saúde precisa ser acolhedor, para que eles não desistam de se tratar. “O primeiro passo sempre vai ser um bom acolhimento do paciente, para criar vínculos e incentivá-lo a dar continuidade, com exames mais específicos para chegar a um diagnóstico e melhor tratamento”, defende.

Além do câncer de próstata, Novembro Azul incentiva os homens a cuidar da saúde de forma integral

Segundo o Sistema de Informações de Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM/MS) e o INCA, outros cânceres também afetam os homens e poderiam ser detectados precocemente se eles fizerem exames preventivos periódicos, tal qual as mulheres. Depois da próstata, os homens no Brasil são afetados por tumores em áreas do corpo como cólon e reto, traqueia, brônquio e pulmão, estômago, cavidade oral, esôfago, bexiga, laringe, leucemias, sistema nervoso central, todas as neoplasias.

Para aproveitar a procura dos homens por atendimento preventivo, algumas secretarias de saúde aproveitam a campanha Novembro Azul para incentivar o cuidado com a saúde integral deles. É o caso da Secretaria de Saúde do Distrito Federal que, durante todo mês, organiza diversas ações de conscientização para que os homens se cuidem o ano todo e observem o bom funcionamento de todos os órgãos do corpo.

Conscientização parecida também é feita pela Secretaria de Saúde do Mato Grosso do Sul, que neste mês faz uma mobilização para aproximar os homens das unidades de saúde. Já em São Paulo, no Novembro Azul o governo estadual está ofertando check ups para homens acima de 50 anos. No estado, é desenvolvido o programa “Filho que ama leva o pai ao AME”, sigla para ambulatórios médicos de especialidades. O agendamento do atendimento pode ser feito pelo telefone 0800 779 0000.

Website: https://www.linkedin.com/in/ericmendozaa/

Deixe o seu comentário