São Paulo, SP 6/10/2021 – A automatização do trabalho fiscal pode significar 22 dias a menos do processo de cálculo do imposto, gerando um ganho de produtividade enorme para o contador.

A combinação de múltiplas tecnologias permite que as máquinas compreendam os processos, atuem e complementem as atividades humanas, como um sistema integrativo e colaborativo, permitindo o aumento da produtividade em até 40%.

A inteligência artificial (IA) pode multiplicar as taxas de crescimento econômico anual até o ano de 2035, transformando a natureza do trabalho por intermédio de uma convergente relação entre homem e máquina. É o que apontou a pesquisa mundial realizada em 12 economias desenvolvidas, sob o comando da Accenture, multinacional de consultoria de gestão, tecnologia da informação e outsourcing. Conforme o estudo, a combinação de múltiplas tecnologias permite que as máquinas compreendam os processos, atuem e complementem as atividades humanas, como um sistema integrativo e colaborativo, permitindo o aumento da produtividade em até 40%. Seguindo essa perspectiva, empresas de tecnologia têm investido fortemente na IA para liberar as pessoas para tarefas mais estratégicas, como no caso de rotinas fiscais realizadas por departamentos fiscais e escritórios de contabilidade, que têm sob sua responsabilidade complexas rotinas, como o cálculo de impostos. Neste caso, cálculos e emissão de guias ficam a cargo das máquinas. Já o planejamento e o gerenciamento de novas oportunidades, para os humanos.

Tal como o resultado da pesquisa da Accenture, que apontou a eficiência da colaboração entre a inteligência humana e a da máquina – ao repassar para a inteligência artificial as atividades repetitivas e rotineiras, com capacidade de análise de grandes volumes de dados, e permitir ao homem mais tempo livre para a execução de atividades que exijam planejamento e resoluções diversas no ambiente profissional -, algumas ferramentas digitais já automatizam as tarefas operacionais, agilizando procedimentos e evitando equívocos e prejuízos financeiros. É o caso da plataforma criada pela startup Tributei, que reduz em 97% o tempo gasto com as rotinas fiscais e elimina os erros de cálculos do ICMS-ST e do Diferencial de Alíquota (DIFAL). Manualmente, para inserir informações de uma nota fiscal com 10 itens são gastos cerca de 30 minutos. Pelo sistema inteligente, em menos de um minuto podem ser contabilizadas até 50 notas.

 “A automatização do trabalho fiscal pode significar 22 dias a menos do processo de cálculo do imposto, gerando um ganho de produtividade enorme para os contadores”, destaca o CEO da Tributei, Waldir Souza Júnior.

Com o uso de inteligência artificial, o processo de recolhimento do ICMS, usado em vendas interestaduais para empresas do comércio, é feito de ponta a ponta, fechando todo o ciclo. A plataforma Tributei – Automação Fiscal do ICMS-ST e DIFAL captura as notas fiscais direto das Secretarias da Fazenda, realiza o cálculo dos valores envolvidos e gera guias de recolhimento de forma automática. “A ferramenta realiza todos os processos que envolvem o ICMS-ST e DIFAL em uma única solução”, explica o CMO da startup, Jefferson Pinto.

Esta inovação, criada no Amapá e expandida para o Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Mato Grosso, antecipou o que outra pesquisa apontou: a inteligência artificial impacta diretamente na produtividade e na economia. Divulgado recentemente pela Microsoft, que encomendou o levantamento para consultoria norte-americana FrontierView, o estudo “A Inteligência Artificial (IA) na era da Covid-19: Otimizando o papel da IA na geração de empregos e crescimento econômico na América Latina” concluiu que a inteligência artificial pode ser uma ferramenta para movimentar o mercado, reduzir custos e melhorar a arrecadação de impostos.

 

Website: https://tributei.net/

Deixe o seu comentário