São Paulo, SP 5/10/2021 – Dão mais clareza na hora de tomar decisões importantes, orientam nas ações para redução de custos e otimização da produtividade

A utilização da metodologia data-driven possibilita reduzir bastante o tempo entre a abertura da vaga e a efetivação do candidato, além de elevar a qualidade das contratações

O setor de Recursos Humanos (RH) que passa a utilizar data-driven pode levar a organização para um elevado nível de eficiência profissional, uma vez que as decisões internas são baseadas em dados, análises e mensurações, fazendo com que potencializem os resultados alcançados, como na captura de talentos, segundo a Benner, empresa de software de gestão empresarial. Uma pesquisa recente do InfoJobs, divulgada pela Época Negócios, apontou que mais de 61% dos profissionais de RH já utilizam a análise de dados (data-driven) para tomar alguma decisão estratégica. O levantamento foi feito com 520 profissionais da área, e quase todos (95,5%) afirmaram que a análise de dados é importante ou muito importante para a melhoria de processos de seleções e experiências.

O recrutamento data-driven é um processo de recrutamento e seleção medido por dados, em que a empresa faz uso de tecnologias para métodos de análise de dados os quais possibilitam avaliar profissionais e identificar aqueles que mais são aderentes ao cargo oferecido, informa Amanda Teixeira Barbosa Berbel, graduada em Administração de Recursos Humanos.

“Trabalho com gerenciamento de processos seletivos e projetos específicos de recursos humanos, identificando e desenvolvendo talentos, e por esse método consigo fazer o cruzamento das competências exigidas pela vaga, com qualificações e aptidões dos profissionais, e assim escolho os talentos certos para os cargos em aberto”, explica a consultora de R&S.

Amanda afirma que para aplicar a contratação data-driven é preciso centralizar todos os dados necessários em um software específico, logo depois, fazer as análises para descobrir, exatamente, qual é a falha do processo para realizar melhorias. Após isso são definidas as principais características procuradas em um candidato. Ela observa que para uma contratação mais assertiva, pode-se usar algumas ferramentas externas e, assim, seguir com o processo de recrutamento.

Segundo a consultoria Gartner, a previsão é que, até 2023, mais de 33% das grandes empresas terão analistas e setores, como RH, utilizando a inteligência de decisão, incluindo modelagem de decisão data-driven, em tempo real e alcançando resultados extraordinários. De acordo com o Índice de Maturidade Analítica (IMA), atualmente, somente 35% dos líderes de empresas usam o data-driven para tomar decisões.

Conforme a especialista, o recrutamento data-driven tem sido muito eficiente na seleção dos profissionais, a contratação já é considerada uma grande tendência para a aquisição de talentos no setor de Recursos Humanos estratégico. Amanda lembra que contar com dados concretos e confiáveis já não pode mais ser encarado como um diferencial competitivo, e sim como um processo vital para a atuação e sobrevivência das empresas no mercado.

“O data-driven nos dá informações que dão mais clareza na hora de tomar decisões importantes, orientam nas ações para redução de custos e otimização da produtividade, tudo de forma alinhada com as necessidades da empresa e do setor. Quando uma empresa passa a tomar decisões com base em dados, e não mais em intuições e achismos, a ocorrência de erros e equívocos diminuem”, finaliza Amanda Teixeira.

Website: http://linkedin.com/in/amanda-teixeira-barbosa-b7909b56

Deixe o seu comentário