São Paulo, SP 16/9/2021 – Autoridades, empresas de tecnologia e entidades como o CDC e a OMS estão empenhadas em encontrar facilidades que garantam autenticidade

De modo crescente, governos, entidades e empresas passam a exigir um comprovante de vacinação contra a Covid-19 como forma de acesso e permanência

Com a demonstração da eficácia das vacinas pela redução drástica no número de infectados e mortos pela Covid-19, a exigência pela comprovação do uso das vacinas tornou-se um padrão de segurança e prudência para muitos governos, empresas e órgãos pelo planeta. À medida que mais destinos e organizações passam a exigir esses comprovantes de vacinação para a entrada de viajantes, observa-se também um número crescente de soluções digitais para facilitar este processo.

Para muitas pessoas, o simples certificado em papel utilizado pela maioria dos países e que registra a vacinação contra a Covid-19 já é o suficiente para comprovar que estão real e totalmente vacinadas. No entanto, muitas pessoas têm criticado e se incomodado com o fato de que um certificado impresso está sujeito a extravios, borrões e deterioração. De um modo geral, o certificado em papel não apresenta as conveniências de uma versão digital para fácil utilização em viagens ou mesmo para ser apresentada ao adentrar um hotel, teatro, restaurante e eventos em geral.

Ao contrário da Europa, onde os governos que compõem o bloco estão emitindo um “Certificado Digital Verde” para todos os residentes, assegurando que possam comprovar que foram vacinados e que tiveram resultado negativo para a Covid-19 ou ainda que se recuperaram do vírus, nos Estados Unidos este registro fica ao critério dos cidadãos. Os americanos precisam criar seu próprio meio de armazenamento e de preservação dos comprovantes das vacinações.

Felizmente, muitas empresas de tecnologia decidiram dedicar tempo e esforços para encontrar soluções inteligentes de modo a acomodar essa demanda. Há um número crescente de opções para aqueles que desejam digitalizar seu status de vacinação, com diversos aplicativos e plataformas de tecnologia trabalhando em parceria com organizações de destinos turísticos, companhias aéreas e entidades ligadas a eventos para oferecer aplicativos que funcionem como “passes”.

Alguns estados americanos, incluindo Nova York, Califórnia e Havaí, estão oferecendo soluções personalizadas de passe digital de vacinas para residentes e, no caso do Havaí, para visitantes também.

Nova York foi o primeiro estado dos EUA a desenvolver uma opção de certificado de vacinação digital para seus residentes, chamado de Excelsior Pass. O aplicativo foi lançado em 26 de março deste ano e desenvolvido em parceria com a IBM.

Como não se sabe quanto tempo levará até que aplicativos dedicados ao tema estejam disponíveis, com os devidos endossos de governos e órgãos intercontinentais, a prática bem-sucedida por enquanto é digitalizar o comprovante.

Ricardo Mendonça, que é diretor geral da Next Seguro Viagem, agência paulistana especializada na comercialização de seguros de viagem com cobertura para Covid-19, recomenda que “assim que você estiver totalmente vacinado e com o certificado de vacinação em mãos, é importantíssimo que faça uma foto do certificado, pois em muitas situações alguns acessos serão liberados simplesmente com essa demonstração. Além disso, com estes dados salvos em seu smartphone será muito mais fácil obter uma segunda via física junto ao sistema de saúde, se necessário”.

Mendonça conclui destacando que “autoridades, empresas de tecnologia e entidades como o CDC e a OMS estão empenhadas em encontrar facilidades que garantam autenticidade e sejam disponibilizadas sob a forma de soluções digitais que sejam aplicáveis internacionalmente. Com certeza, nos próximos meses poderemos ver um maior progresso e uma aplicação prática dos passes digitais internacionais”.

 

Website: https://www.nextseguroviagem.com.br

Deixe o seu comentário