3/11/2021 – Em momentos de grande demanda, como a Black Friday, os empreendedores também devem se preocupar em organizar o fluxo de caixa

Em 2020, o evento registrou alta de 31,1% em relação a 2019; especialista destaca a importância de investir na organização financeira para a data

Data muito esperada por lojistas e consumidores, a Black Friday deste ano de 2021 será realizada no dia 26 de novembro. Em 2020, em plena crise sanitária, o evento alcançou um faturamento de 5,1 bilhões – uma alta de 31% em relação ao ano anterior, segundo balanço da Neotrust/Compre&Confie. Segundo o estudo, o comércio eletrônico foi responsável por 7,6 milhões de vendas, um crescimento de 24,7% frente à edição passada.

Uma pesquisa da agência de marketing GhFly em parceria com o E-Commerce Brasil traçou o perfil dos lojistas para a Black Friday deste ano. Segundo a análise, 44% dos entrevistados planejam melhorar seus resultados com relação à edição 2020, 38% pretendem inovar e 18% optaram por manter o planejamento aplicado nos últimos eventos.

O levantamento ainda apurou que 49% dos lojistas estão se preparando para a data por meio do consumo de conteúdos produzidos por autoridades no assunto, como leitura de artigos, uso das redes sociais, webinars e vídeos.

Guilherme Mello, CEO da Loopa, empresa de tecnologia financeira, observa que em momentos de grande demanda, como a Black Friday, os empreendedores também devem se preocupar em organizar o fluxo de caixa: “É fundamental para a saúde financeira da empresa. Além disso, com um alto volume de vendas, fazer a conciliação de cartão se torna imprescindível para o lojista não perder dinheiro com cobranças indevidas de taxas”.

Lojistas devem incluir organização financeira na preparação para a Black Friday

De acordo com o especialista, para que a data seja um sucesso, os comerciantes devem realizar um planejamento que vá além da realização de promoções. “Assim como a falta de receita é um problema, a má administração das vendas também é perigosa do ponto de vista da saúde financeira e pode levar até mesmo à falência de um negócio”.

A má gestão empresarial é responsável pelo fechamento de um número expressivo de negócios. Entre 2013 e 2017, 316.680 empresas que encerraram as atividades no país reportaram o problema, segundo levantamento de Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

Para Mello, o planejamento é decisivo para garantir que o comerciante não tenha perdas financeiras que comprometam a saúde do negócio. “Além da análise de estoque para definir as ofertas, é fundamental que o comerciante tenha uma boa plataforma de fluxo de caixa para administrar todos os recebíveis das transações feitas no cartão. Esta ferramenta oferece ao empresário a capacidade de projetar suas receitas e aprimorar seu processo de gestão”, explica.

Além disso, segundo ele, o processo manual de conciliação de cartão pode ser um desafio nesta data que promete alta demanda para negócios físicos e digitais. Dados do relatório Future Shopper Report 2021, produzido pela Wunderman Thompson em parceria com a Enext, apontam que mais da metade dos brasileiros (55%) afirmaram que pretendem continuar consumindo em e-commerces de forma frequente.

“O gestor que contar com uma plataforma automatizada ganhará tempo para conferir as taxas cobradas, minimizará a chance de erros de cálculo e ainda terá uma importante vantagem competitiva frente a seus concorrentes. Em um momento de retomada, investir na saúde financeira de um negócio em eventos importantes como a Black Friday é tão importante quanto apostar em ações de marketing”, conclui Mello.

Para mais informações, basta acessar: www.loopa.digital

Website: http://www.loopa.digital

Deixe o seu comentário