Los Angeles 3/12/2021 – Nos próximos anos, veremos um boom de talentos brasileiros em produções internacionais

Com mais diversidade, produções norte-americanas dão destaque para talentos do Brasil.

A atuação de brasileiros em produções internacionais não é exatamente uma novidade – a lista vai das favoritas de Hollywood, Sônia e Alice Braga, com extensa lista de trabalhos no exterior, passando por Rodrigo Santoro, destaque de 300 e Westworld, e Wagner Moura, famoso por seu papel em Narcos. Protagonistas de séries e filmes de sucesso, eles representam um grupo de talentos latinos que só tende a crescer. Depois de críticas e protestos pela falta de diversidade nos elencos norte-americanos, resultando no cancelamento do Globo de Ouro este ano, produções de TV e cinema encerram 2021 com recordes de representatividade. Segundo pesquisa divulgada pela Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), pela primeira vez na história, minorias étnicas e estrangeiros tiveram uma porcentagem maior de papéis protagonistas, 43,4%.

Um estudo analisou também a relação entre diversidade e faturamento: de acordo com a Creative Artists Agency (CAA), filmes com elencos mais diversos – compostos por 41% a 50% de minorias – tiveram as maiores receitas globais de bilheteria; já aqueles com menos de 11% de minorias tiveram o pior desempenho. Para Christy Haubegger, líder do grupo de desenvolvimento multicultural do CAA, esses resultados mostram que “as pessoas querem ver um mundo que se pareça com o deles”.

Produções de sucesso como Os Novos Mutantes, com os brasileiros Alice Braga e Henry Zaga interpretando super-heróis da Marvel, têm inaugurado uma nova fase para os talentos do Brasil. “O processo de seleção de atores mudou. Ser estrangeiro com sotaque não é mais visto como um ponto fraco”, diz Marcos Brandão, sócio-fundador da agência de talentos House Entertainment. Empresário de famosos como Giovanna Antonelli, Daniel Oliveira, Samantha Schmutz e Laura Neiva, Brandão mudou-se para os Estados Unidos em 2019 com o objetivo de desenvolver a carreira internacional de seus clientes. 

Entre elas, a atriz Marina Ruy Barbosa, protagonista da aguardada série “Rio Connection”, em fase de finalização. A produção foi anunciada no L.A. Screenings, em Los Angeles, como mais uma parceria entre Globo, Floresta e Sony em língua inglesa. Dirigida por Mauro Lima, “Rio Connection” é ambientada nos anos 1970 e conta a história de três criminosos europeus que fugiram para o Brasil. O projeto conta com um elenco internacional incluindo os brasileiros Maria Casadevall, Bruno Gissoni e Rômulo Arantes Neto, o italiano Valerio Morigi, Raphael Kahn, da Albania, e o australiano Aksel Ustun.

“Os estúdios estão mais abertos aos talentos brasileiros não só pela qualidade de suas interpretações, mas também pela audiência excepcional que eles atraem”, comenta Brandão, responsável por gerenciar a carreira de estrelas com milhões de seguidores nas redes sociais. Marina Ruy Barbosa, com quase 40 milhões de seguidores, é uma das maiores apostas do empresário no mercado norte-americano, que conectou a atriz ao time de talentos da IMG, mesma agência de estrelas como Priyanka Chopra e Millie Bobby Brown. “Nos próximos anos, veremos um boom de talentos brasileiros em produções internacionais”, acredita Brandão.

Segundo dados da UCLA, os Estados Unidos ainda têm grande margem de crescimento para atores latino-americanos, já que estes somam apenas 6,3% de papéis no cinema local, longe de representar a segunda maior demografia no país, que possui 18.5% da pessoas de origem hispana ou latina, incluindo imigrantes do Brasil.

Website: https://newsroom.ucla.edu/releases/2021-hollywood-diversity-report

Deixe o seu comentário