Ribeirão Preto, SP 30/9/2021 –

Segundo a consultora em logística Cristiane Fais, para que se estabeleça um sistema eficiente, o primeiro passo é saber as principais características de cada modal

O transporte de cargas é considerado uma atividade essencial para manter a economia mundial em movimento e garantir o abastecimento de cidades e indústrias. Entretanto, para adotar um sistema de transporte e logística eficiente é necessário compreender qual modal atenderá a operação em questão.

De acordo com Cristiane Fais, diretora executiva da Accrom, antes de definir o tipo de transporte da carga, seja ele rodoviário, aéreo, marítimo ou multimodal, é preciso considerar uma série de fatores, como o prazo de entrega, o tipo de mercadoria e o destino da mesma. “Por exemplo, para movimentação de cargas dentro dos perímetros nacionais e até mesmo entre o Brasil e outros países da América do Sul, o transporte rodoviário é um modal muito utilizado, inclusive, de acordo com a pesquisa “Custos Logísticos no Brasil”, da Fundação Dom Cabral, mais de 75% da distribuição de produtos no território brasileiro é feita através deste modal”, explica.

Dados do Banco Mundial, mostraram que o Brasil é o país que tem a maior concentração rodoviária de transporte de cargas e passageiros entre as principais economias mundiais. 58% do transporte no país é feito por rodovias – contra 53% da Austrália, 50% da China, 43% da Rússia, 32% da Rússia e 8% do Canadá.

Já para quem procura maior agilidade na entrega da carga, a diretora executiva da Accrom orienta o transporte aéreo. “Embora tenha um custo mais elevado, o modal é muito utilizado por embarcadores que precisam que as suas mercadorias percorram longas distâncias em pouco tempo, além disso, é a opção mais segura”, comenta a especialista.

O transporte marítimo internacional é o mais utilizado para o transporte em longas distâncias em todo o mundo e também considerado o com menor custo. “O embarcador com o auxílio de seu operador logístico pode escolher entre a contratação de um container completo, ou embarque consolidado onde divide espaço com outros embarcadores ou ainda quando se trata de grandes volumes por um afretamento de navio inteiro ou parcial”, afirma.

Cristiane Fais esclarece que para os operadores que estão comercializando dentro na América Latina e Mercosul o transporte rodoviário internacional é considerado a melhor opção de embarque, pois “além de bons custos a agilidade se destaca em relação ao modal marítimo que enfrenta mundialmente problemas com falta de containers e navios”.

“Quando existe a necessidade de tornar a movimentação da carga o mais ágil e eficiente possível é indicado o transporte multimodal, que nada mais é do que a junção de vários modais de transporte em uma mesma operação de logística integrada”, diz.

Contar com uma empresa especializada em operações e soluções logísticas internacionais e multimodais, possibilita a escolha da melhor estratégia para as empresas que operam em comércio exterior. “É necessário lembrar que são processos que devem ser otimizados continuamente para quem deseja manter a produtividade pelo menor custo”, finaliza Cristiane Fais.

Website: https://www.accrom.com.br

Deixe o seu comentário