São Paulo – SP 16/6/2021 –

O suavizador de água apresenta um bom investimento para evitar problemas a médio e longo prazo.

Mais que a ingestão direta, a água tem muitas outras utilidades. Porém, para cada finalidade ela exige um tratamento apropriado. Existem os mais comuns como filtração, realizado, inclusive, em residências. Porém, os específicos também são essenciais e se negligenciados podem causar sérios problemas a médio e longo prazo. O suavizador de água, por exemplo, é o equipamento responsável por diminuir a dureza da água, que pode implicar na ação de limpeza do sabão.

O gerente da empresa de tratamento de água e filtragem Asstefil explica que a dureza da água é predominantemente causada pela presença de sais de cálcio e magnésio. “Eventualmente também o zinco, estrôncio, ferro ou alumínio podem ser considerados na aferição da dureza”, afirmou Fabio de Oliveira.

Indagado sobre quais implicações a água dura pode trazer, Oliveira explica que até mesmo serviços domésticos podem ser afetados. “Para um número vasto de aplicações, como combate a incêndio, regar o jardim, lavagem das ruas ou manter o barco a flutuar, a água teria de ser muito dura antes de causar problemas. Para outros usos, tanto domésticos como industriais, no entanto, a água dura pode causar alguns inconvenientes. O principal deles refere-se à menor capacidade de aderência do sabão”, disse. Ele também enfatizou a importância do uso do suavizador de água para evitar problemas como esse.

O especialista afirma ainda que é possível identificar a dureza da água por meio do teste da espuma. “Se o sabão ou pasta de dentes fizer muita espuma na água, trata-se de água mole. Mas se, ao contrário, fizer pouca espuma é porque é água dura”, conta. O gerente da Asstefil ainda pondera momentos em que a água mole é mais aconselhável e que, para isso, o suavizador de água é o melhor equipamento a ser utilizado. “Para o uso em banho, lavagem de louças e roupas, fazer a barba, lavar o carro e muitos outros usos, a água dura não é tão eficiente como a mole. Calcula-se que 10 mg/l de Carbonato de Cálcio (CaCO3) provoca o desperdício de 190 gramas de sabão puro, por cada metro cúbico de água”, avalia.

Nesse sentido, a solução para a dureza da água apresentada pelo especialista é submeter o produto ao suavizador de água. “Diferente do que muitos pensam, ele tem um baixo consumo de energia, um tanque de resina reforçado com fibra de vidro, eliminando preocupações com corrosão, e ainda um sistema de regeneração automático com cinco ciclos de limpeza. Ou seja, um investimento que vale a pena quando o assunto é dureza da água”, salientou.

De maneira a reforçar a importância do uso do suavizador de água, Oliveira ainda fala sobre outros inconvenientes provenientes da água dura. “Ela pode causar depósitos de calcite em caldeiras, máquinas de lavar e canos. Outro problema de uma água dura é a incrustação dos íons carbonato e hidrogenocarbonato nos permutadores de calor, que pode ser notado em casa nas máquinas de lavar e caldeiras de aquecimento. Além de tudo isso, a água suave também tem um sabor mais ‘doce’ do que a dura”, finalizou.

Website: https://asstefil.com.br/

Deixe o seu comentário