Florianópolis, SC 2/6/2021 – Dê ao seu corpo o que ele precisa. Dê-lhe o melhor equilíbrio de nutrientes possível, para garantir bom gerenciamento da energia corporal

Sendo um funcionário de escritório ou um atleta de competição, os blocos de construção essenciais da saúde são os mesmos. Alimentação rica em boa nutrição é a chave.

Segundo um estudo de Havard, 50% dos americanos são deficientes em vitamina D e 80% são deficientes em magnésio. Os efeitos negativos de tais aflições generalizadas incluem metabolismo lento e ganho de peso, fragilidade óssea, falta de energia e muito pior. Em uma nação desenvolvida, essas condições são tão evitáveis ​​quanto contraproducentes para o sucesso.

Especialmente para os estudantes e atletas, um equilíbrio nutricional incompleto pode prejudicar tanto o presente quanto o futuro. Então como se destacar no treinamento e competir por metas futuras quando os blocos de construção de força, energia e resistência estão faltando?

Aqui estão alguns dos nutrientes que Doutor Doc, médico empreendedor e Ceo na Premium Life, empresa com foco em performance humana, aconselha para otimizar a alta performance no dia a dia, além do porquê deles serem necessários e onde encontrá-los.

Magnésio

O magnésio é o quarto mineral mais abundante no corpo, embora cerca de 80% dos americanos sejam deficientes em magnésio. Por quê? A monocultura esgota o solo, fazendo com que os níveis de magnésio caiam. Como resultado, os alimentos que comemos muitas vezes carecem desse micronutriente vital.

O magnésio desempenha uma variedade de funções na regulação do nosso metabolismo, principalmente com gordura e proteína. Ele também estabiliza as funções hormonais, imunológicas, cardiovasculares e neuromusculares, tornando-o crucial para o funcionamento saudável do dia a dia.

Os atletas são particularmente propensos a altas taxas de renovação do magnésio no corpo por causa da sudorese e das flutuações hormonais que acompanham a atividade física. As deficiências são mais comuns em pessoas que praticam esportes que levam em consideração o peso, como luta livre, balé, tênis, etc.

A deficiência de magnésio reduz o desempenho de resistência, aumentando as necessidades de oxigênio necessárias para completar o exercício submáximo. O magnésio alimentar insuficiente também prediz espasmos e dor muscular, má digestão e problemas de sono.

Quando o corpo tem magnésio suficiente, este mineral também ajuda a desintoxicar o corpo e minimizar os danos causados ​​por produtos químicos. Folhas verdes escuras, como algas marinhas, espinafre e acelga são ricas em magnésio. Feijão e nozes e sementes de gergelim, abóbora e girassol. Uma dica é desfrutar do saboroso mangostão e abacate para obter o magnésio necessário.

Antioxidantes

As plantas produzem antioxidantes naturalmente para se protegerem dos efeitos nocivos da luz solar, da seca, do esgotamento do solo e do excesso de chuva.

Quando se come plantas ricas em antioxidantes, o corpo ganha a proteção desses poderosos fitoquímicos. Os antioxidantes protegem as paredes celulares do dano oxidativo causado pelos radicais livres via radiação ultravioleta, mas também diminuem os danos da inflamação ocorridos durante o exercício. Os antioxidantes reduzem o impacto do estresse oxidativo para ajudar o corpo a se recuperar mais rapidamente após o exercício. Como o exercício aumenta a oxigenação dos tecidos, os antioxidantes são um componente crítico na redução do “estresse oxidativo” inflamatório nos músculos e outras membranas.

A clorofila tem fontes ricas em antioxidantes também combate a inflamação. Um composto naturalmente alcalino, a clorofila luta contra os efeitos inflamatórios do ácido láctico e das dietas ricas em ácido. Sim, as plantas são analgésicos. Isso significa reduzir a inflamação dolorosa nas articulações, ligamentos e tendões. Quanto mais rápido o corpo se cura, mais rápido se ganha músculos para atingir níveis máximos de desempenho.

Uma boa nutrição leva a uma boa recuperação. Além disso, se evita doenças inflamatórias como o câncer. Bagas de cores vivas e vegetais de folhas verdes são as melhores fontes de antioxidantes. Coentro, feijão e corações de alcachofra também são escolhas de qualidade. Os mirtilos e as bagas de Goji são os mais elevados em antioxidantes essenciais.

Vitaminas B

As vitaminas B vêm em dois grupos que completam duas funções diferentes e essenciais nos corpos ativos.
Vitaminas do complexo B, como B12 e folato, são necessárias para a síntese de proteínas para construir músculos e reparar tecidos após a atividade física. A vitamina B12 é conhecida como a “vitamina energética” porque as pessoas se sentem apáticas e sofrem o que é chamado de ” névoa cerebral ” sem ela.

As deficiências de curto prazo não são conhecidas por prejudicar o desempenho físico, mas a escassez de longa data compromete o desempenho do treinamento de resistência. As vitaminas B12 e o folato estão disponíveis na maioria dos alimentos de origem animal. As vitaminas essenciais do complexo B restantes estão disponíveis por meio de uma dieta balanceada de grãos saudáveis ​​como lentilhas, produtos de origem animal, feijão, abacate e morango.

Potássio

O potássio é um eletrólito crítico que equilibra os níveis de fluidos, funções nervosas e sistemas de transporte de nutrientes no corpo. Como o potássio é perdido durante a transpiração, a atividade física intensa pode resultar em fadiga imediata e fraqueza muscular. Os atletas precisam de altos níveis de potássio diários para garantir níveis ideais de desempenho.

Cãibras musculares são comuns quando os níveis de potássio estão baixos. A contração e o relaxamento muscular exigem que o potássio esteja presente no sangue. Sem surpresa, para o tempo de reflexo mais rápido, os níveis de potássio devem estar ótimos antes do treino.

O potássio também garante o crescimento do tecido muscular. Sem o potássio, a energia liberada durante o metabolismo não pode ser usada pelos músculos. Estudos detalham como o potássio é essencial para a síntese de proteínas que afetam a regeneração dos tecidos e o equilíbrio metabólico após o exercício. Resumindo: para usar a força, é preciso potássio. Bananas e romãs são fontes notáveis ​​e portáteis de potássio, bem como batatas e o delicioso feijão branco.

Escolher dar ao corpo o que ele precisa é o caminho correto, pois garante o melhor equilíbrio de nutrientes possível. “Você pode mudar o mundo começando por você, invista na sua melhor versão”, finaliza Doutor Doc.

Website: https://www.instagram.com/doutordoc/

Deixe o seu comentário