Curitiba – PR 31/5/2021 – Um dos grandes equívocos das pessoas é acreditar que uma fratura faz com que o paciente não consiga mexer a área afetada. Ledo engano

Buscar um pronto-socorro para ser examinado e fazer um raio-x é fundamental para descartar fraturas

Uma pancada durante um jogo de futebol, uma queda de escada e uma torção de tornozelo são acidentes que podem gerar uma fratura. Segundo o médico Vagner Messias, ortopedista do Hospital VITA, especialista em ombro e cotovelo, infelizmente, muita gente acha que não é nada, que a dor vai passar em alguns dias e que não é necessário ir ao médico.

“Um dos grandes equívocos das pessoas é acreditar que uma fratura faz com que o paciente não consiga mexer a área afetada. Ledo engano!”, alerta o especialista. Dr. Vagner explica que um paciente com fratura pode mexer um ombro ou cotovelo, por exemplo, mesmo com fraturas desalinhadas.

De acordo com o ortopedista, é certo que os dois tipos de fratura que mais permitem o paciente ainda poder realizar movimentos são a fratura incompleta e a fratura por contusão óssea. A fratura incompleta é como um “rachado”, sem acometer todo o diâmetro do osso. Já a contusão óssea é uma área de edema (“inchaço”) no osso, causada pela pancada. “Essa última, geralmente fazemos o diagnóstico pela ressonância magnética, quando o paciente sofre um trauma de maior energia, apresenta dor em uma área, o raio-x não mostra fraturas e o paciente persiste com dor”, destaca o especialista.

O Dr. Vagner alerta que, geralmente, acidentes leves não têm energia suficiente para fraturar um osso. Mas não se pode menosprezar achando que “não foi nada”. “Buscar um pronto-socorro para ser examinado e fazer um raio-x é fundamental para descartar fraturas na maioria das vezes e parar de ‘achar que só foi a pancada’”, ressalta o ortopedista.

Mais informações

Luxação: é quando os ossos saem da posição normal, ficando deslocados. As luxações causam dor, deformidades e redução dos movimentos articulares. Normalmente uma luxação ocorre em virtude de traumatismos ou movimentos muito violentos. É comum nos ombros, cotovelos e mãos.

Entorses: são lesões que atingem os ligamentos, porções de tecido fibroso que garantem a união dos ossos em uma articulação. Quando os ligamentos esticam além da capacidade, ocorre o estiramento, que, algumas vezes, pode resultar na ruptura dos ligamentos. Praticar exercícios sem o devido aquecimento e preparo físico pode ser uma das causas. As entorses podem resultar em dor intensa, inchaço e vermelhidão. As regiões mais atingidas pelas entorses são o tornozelo, o joelho e os ombros.

Fraturas: são as lesões mais comuns nos ossos. Se caracterizam pela perda de continuidade do osso, que é resultado da aplicação de uma força excessiva sobre a estrutura. A força excessiva pode ser causada por uma queda ou, até mesmo, esmagamento. Algumas vezes o osso quebra parcialmente, causando uma fratura incompleta. Quando o osso se rompe completamente, ocorre uma fratura completa. As fraturas completas podem ainda apresentar desvio ou não. As fraturas que possuem desvio apresentam maior gravidade.

Website: http://cscom.net.br

Deixe o seu comentário