São Paulo, SP 15/4/2021 – Nosso processo é simples, rápido e sem burocracia. Crédito feito em parceria com revendas de insumos, parceiros de longa data do produtor rural.

A Agrolend é uma fintech de crédito com o objetivo de financiar produtores rurais de pequeno e médio porte num formato digital, rápido e sem burocracia. Atendemos diversas culturas e todas as regiões do Brasil.

André Glezer analisou oportunidades de investimento no agronegócio por muitos anos durante o período em que trabalhou no fundo Arlon, onde os principais investidores eram a Continental Grain e o Rabobank. Durante este período identificou uma grande deficiência no financiamento para produtores rurais, principalmente os de pequeno e médio porte, e viu neste problema uma oportunidade para empreender e construir um negócio inovador.

Para colocar de pé este novo projeto, André juntou-se com seu irmão Alan Glezer e juntos fundaram a Agrolend, uma fintech que nasce para inovar no crédito para o agronegócio. Alan traz para o projeto sua experiencia de 16 anos no mercado financeiro no Brasil e no exterior, com passagens pelo research do Bradesco BBI e por diversas gestoras com foco em investimentos de crédito privado.

Com uma grande ideia em mãos e uma extensa rede de relacionamentos, os fundadores decidiram trazer investidores para a empresa numa rodada de investimento no formato de venture capital (seed round). Nesta captação a Agrolend levantou R$ 9 milhões com 30 investidores, sendo quatro institucionais.

O gigante conglomerado Continental Grain, grupo americano que investe na Bunge e na BRF, foi o primeiro investidor que comprou a ideia e traz para a mesa sua grande experiência global na cadeia de financiamento do agronegócio. Barn Invest e SP Ventures, os principais fundos de Venture Capital brasileiros com presença no agronegócio, também participaram da rodada. Por fim, a Provence Capital, empresa fundada pelo ex-sócio da Hedging Griffo Leo Figueiredo, investiu na Agrolend, trazendo também um interessante grupo de sócios para o projeto.

Com uma brilhante carreira no Banco Finaxis como diretora jurídica, Valeria Bonadio juntou-se aos irmãos Glezer para erguer a Agrolend e fortalecer os pilares jurídico/compliance da nova empresa que já solicitou uma licença de Sociedade de Crédito Direto (SCD) no Banco Central. E, por fim, para construir a plataforma tecnológica da Agrolend, Leopoldo Vettor juntou-se ao grupo e traz para a empresa sua rica experiencia em tecnologia no mercado financeiro adquirida no Buscapé (Bcash) e na Rede.

A Agrolend conta com um processo rápido, simples e sem burocracia para originar o crédito. Os empréstimos não possuem garantias reais, o que aumenta muito a agilidade do processo. O modelo de crédito da Agrolend é totalmente automatizado e busca informações em cerca de dez parceiros de dados/inteligência para enriquecer seus bancos de dados.

Tendo em vista os esforços das indústrias de insumos para a construção de complexos canais de distribuição, a Agrolend optou por estabelecer parcerias com estes players para otimizar a originação de crédito e alavancar o já existente networking dos fundadores. Quando a Agrolend chega no produtor rural junto com seus parceiros de longa data, o processo de onboarding de novos clientes ocorre de forma mais suave.

Após a fase inicial de testes com empréstimos pilotos, a Agrolend pretende levantar capital com investidores institucionais através de uma estrutura de FIDC (Fundo de Investimento em Direitos Creditórios). Os esforços iniciais neste processo deixaram os fundadores empolgados com as perspectivas. Os investidores gostaram da proposta de altíssima diversificação, com exposições em diversas culturas e regiões no Brasil, além da pulverização em um grande número de produtores rurais distintos que não representariam mais de 0.5% no total do fundo.

Website: http://www.agrolend.agr.br

Deixe o seu comentário