São Paulo, SP. 4/3/2021 – Não é à toa que os consumidores estão optando pela energia solar, além de trazer um ótimo retorno financeiro existe um forte apelo para a questão sustentável.

Visão de longo prazo, capacidade de financiamento e estrutura física são três requisitos fundamentais para quem optar por esta solução.

Cada vez mais as pessoas estão procurando alternativas para economizar na conta de energia, que é uma das mais caras do mundo e só vem aumentando a cada ano.

Diversos são os fatores que fazem com que a conta de luz sofra reajustes, sendo que os dois principais motivadores para que esta despesa tenha um aumento médio de 14,5% para 2021, conforme a TR soluções, foram:

– A alta do IGP-M (Índice Geral dos Preços de Mercado) que ficou em 23%, sendo que o projetado para 2021 era de 15,5%;

– Custo da compra de energia elétrica, que teve um aumento de 9,5% em relação a 2020, principalmente pelo impacto da Covid 19 que reduziu o consumo do país e aumentou a inadimplência.

Além da necessidade de reduzir o custo com energia elétrica, a questão ambiental é mais um motivador para que as pessoas procurem a alternativa da energia solar. “Sabemos que a maior parte da matriz energética brasileira é composta por energia limpa, principalmente por hidrelétricas, mas ainda sim temos muitas usinas térmicas que são despachadas pelo ONS (Operador Nacional do Sistema) quando o nível dos reservatórios está abaixo do esperado, ocasionando um impacto ambiental muito grande para o país”, comenta Raphael Ruffato, sócio da Lead Energy.

Por estes motivos a solução de energia solar está crescendo cada vez mais. Em janeiro de 2021, o número de geração solar cresceu 18,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, conforme divulgado pela CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica), o que evidencia cada vez mais que esta solução veio para ficar.

A vantagem da solução solar é que ela pode ser instalada em telhados e solos, permitindo uma redução de até 95% da conta de energia. Além disso, existem diversas linhas de financiamento que possibilitam que o cliente pague o investimento do sistema de geração solar com a redução da conta de energia, tendo um payback médio de 3 a 5 anos, conforme cada região do país.

“Quando os clientes nos questionam se vale a pena instalar painel solar na empresa, costumamos dizer que existem três requisitos que precisam ser avaliados:

– Capacidade de financiamento do sistema de geração solar;

– Estrutura física apropriada para recebimento das placas solares;

– Visão de longo prazo, pois o retorno do investimento ocorre do quarto ano em diante”, complementa Raphael Ruffato, sócio da Lead Energy.

Além da possibilidade de instalação da energia solar in loco, existe a alternativa das empresas alugarem as placas. Esta alternativa está muito difundida em Minas Gerais, principalmente pelo custo da tarifa na região ser elevada e ter uma ótima incidência solar. Esta opção é muito interessante para quem busca obter em média 15% de economia sem a necessidade de investimento inicial.

“Sempre recomendamos a procura de uma empresa especializada para avaliar qual a melhor alternativa para a empresa obter economia de forma sustentável, pois cada cliente tem um perfil diferente”, conclui Raphael Ruffato.

Website: http://www.leadenergy.com.br

Deixe o seu comentário