Uberlândia – MG 11/11/2021 –

Oncologista conscientiza sobre a importância dos cuidados de saúde para os homens

Desde 2016, a campanha Novembro Azul, que antes tinha um foco muito voltado para o Câncer de Próstata, busca disseminar informações e combater, não apenas os cânceres, mas todas as outras doenças que afetam os homens. Assim, o penúltimo mês do ano tem se tornado um ponto de referência para que homens de todas as idades façam seus check-ups e, principalmente, deixem o machismo e preconceitos de lado.

Segundo o relato do professor Nathan Souza, da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, os homens não têm o hábito de procurar a atenção básica e, quando chegam a buscar ajuda médica, os casos já estão complicados. “Os homens, ou não vão ao sistema de saúde, ou vão em número muito reduzido, e, quando procuram o sistema, já estão com descompensação de problemas, como diabetes, hipertensão, infartando e com obesidade”.

Em números

Os homens brasileiros vivem, em média, 7,2 anos a menos que as mulheres. Muito por conta de sua qualidade de vida e exposição maior à violência, tabagismo e abuso de álcool, com maior frequência. As principais doenças, além do câncer de próstata, que acometem a população masculina e exigem atenção são o tabagismo, hipertensão arterial, diabetes, cálculo renal, incontinência urinária, alcoolismo, depressão, obesidade, câncer de pulmão, problemas na bexiga e testículos.

De acordo com o último levantamento publicado pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA), para 2020 foram previstos 65.840 novos casos de câncer de próstata, o que representa 29,2% de todos os cânceres que mais acometem os homens. Nessa mesma equação estão os tumores de Cólon e Reto (9,1%), Traqueia, Brônquio e Pulmão (7,9%), Estômago (5,9%) e Cavidade Oral (5%).

O que diz o especialista

Porém, mesmo que pequena, tem se percebido uma mudança no comportamento dos homens, quando o assunto é saúde. Conforme o Oncologista do Santa Genoveva Complexo Hospitalar, Rodolfo Gadia, os números cresceram, mas isso nem de longe é o bastante.

“Os homens têm cuidado mais da saúde nos últimos anos, mas ainda é preciso melhorar. Embora tenha aumentado, por volta de 40%, a procura pelo médico por parte dos homens, a proporção em relação às mulheres ainda é menor. Segundo dados, antes da pandemia, do PNI (Programa Nacional de Saúde), 82% das mulheres procuraram um médico contra 69% dos homens”.

Redução nos exames

Outro ponto importante na fala de Gadia é a crise causada na saúde, pela pandemia do Coronavírus. De acordo com o médico, desde março de 2020, houve uma redução de até 90% nos exames que deveriam ser oferecidos em hospitais brasileiros, afetando especialmente pacientes oncológicos, gestantes e doentes crônicos, como mostra o levantamento realizado pelas Sociedades Brasileiras de Cirurgia Oncológica-SBCO e de Patologia-SBP.

Além disso, muito da falta de tratamento precoce, quando o assunto é saúde masculina, ainda está atrelada ao machismo. “As razões mais frequentes para a negligência masculina com a saúde incluem os fatores culturais, que levam à masculinidade tóxica. Também existe uma questão laboral, onde os homens têm mais dificuldade de justificar a ausência no trabalho, e ainda há a falta de informação mesmo”, explica o oncologista.

Como prevenir

A melhor maneira de evitar qualquer doença é manter hábitos saudáveis. Uma alimentação balanceada, com frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, aliada a uma atividade física, são algumas das recomendações. Além disso, o check-up deve fazer parte do cotidiano masculino, tanto quanto pertence ao de uma criança ou das mulheres.

Porém, como explica Rodolfo Gadia, “infelizmente, a maioria dos homens só vai ao médico porque a esposa leva ou, então, quando há algum sintoma, o que pode significar uma doença mais avançada, como no caso do câncer de próstata. Aos 45 anos, o homem deve procurar o urologista para consulta anual. Para aqueles que possuem histórico familiar, a partir dos 40 anos, é necessário começar a prevenção contra o câncer de próstata, considerado o 3º câncer mais comum em todo o mundo, sendo o principal entre homens. E, com essa idade, já é possível começar a prevenir outros tipos de doenças, realizando exames cardiológicos, de sangue e exames clínicos específicos, como o de pulmão em fumantes”.

Website: https://www.santagenoveva.com.br/

Deixe o seu comentário