Los Angeles 21/5/2021 – O lançamento desses óculos inaugura um universo de possibilidades criativas e comerciais

Depois do lançamento do Oculus Quest 2, Facebook quer levar a realidade virtual às ruas com a Ray-Ban.

Uma invenção que pode substituir os smartphones e revolucionar a interação entre seres humanos e tecnologia, num piscar de olhos. “Pode parecer ficção científica, mas é o futuro que o Facebook está criando dentro de seus laboratórios”, afirma a empresa de Mark Zuckerberg em post recente sobre os avanços no desenvolvimento dos óculos inteligentes, que devem chegar ao mercado ainda em 2021. 

A empresa de tecnologia, que no ano passado lançou o Oculus Quest 2, um headset de realidade virtual para jogos, lidera a corrida para popularizar os já conhecidos recursos de Realidade Aumentada (RA), tecnologia que permite sobrepor elementos virtuais à nossa visão da realidade.

Em 2013, o Google saiu na frente com o Google Glass, um acessório em forma de óculos que possibilita a interação dos usuários com diversos conteúdos em realidade aumentada. Desde então sua funcionalidade encontrou mais adeptos nos ambientes industriais do que nas ruas. Já o modelo criado pelo Facebook em parceria com a Ray-Ban pretende chegar ao público final como a nova geração de dispositivos inteligentes portáteis, superando as funções dos smartphones.

“Essa ferramenta vai ter um impacto muito grande na experiência do consumidor com marcas e serviços”, afirma o brasileiro Daniel Vettorazi, Creative Technologist da Buck Design, na Califórnia. Em 2019, ele fechou sua produtora de tecnologias imersivas para publicidade em Porto Alegre, e se mudou para os Estados Unidos, atendendo à crescente demanda do setor por profissionais especializados. “A Realidade Aumentada existe desde 1992 e vem sendo usada em publicidade e cinema há tempos, mas nada se compara à capacidade de misturar os mundos digital e físico através das lentes de óculos”, diz Daniel, que colabora na criação de filtros de RA para as plataformas do Facebook e Instagram e também para artistas como Mariah Carey. “O lançamento desses dispositivos inaugura um universo de possibilidades criativas e comerciais”, afirma.

O time de Mark Zuckerberg ainda não divulgou o conjunto de recursos dos novos óculos inteligentes, mas afirmou que o produto segue uma filosofia mais ampla em torno da RA, que é tornar a tecnologia mais interativa, a fim de aumentar a “presença”. 

Com a chegada dos óculos inteligentes do Facebook ao mercado, ao lado de produtos semelhantes anunciados pela Apple e Microsoft, estima-se que de 598 milhões de dispositivos de RA ativos globalmente no ano passado, em 2024 o mercado terá cerca de 1,73 bilhões de usuários, segundo pesquisa da ARtillery Intelligence. O setor deve movimentar cerca de 340 bilhões de dólares até 2028, de acordo com a Grand View Research.

Website: https://www.vettorazi.com/

Deixe o seu comentário