São Paulo 30/4/2021 – A vacina precisa virar um hábito no Brasil

Dr. Vacina irá inaugurar cinco unidades pelo país nos próximos 90 dias. Pandemia da Covid-19 despertou a importância da vacinação como prevenção de doenças

A pandemia da Covid-19 mudou o comportamento do brasileiro em diversos aspectos. Um deles é o do autocuidado com a prevenção de doenças por meio de vacinação. Outra mudança sentida neste período é a econômica. Empresários buscam investimentos sólidos na área da saúde e é neste cenário que a rede de clínicas de imunização Dr. Vacina não para de crescer.

Fundada em 2017 em Sorocaba (SP), o Dr. Vacina já tem quatro unidades em funcionamento no interior de São Paulo e nos próximos três meses irá inaugurar outras cinco sedes pelo Brasil: Teresina (PI), Curitiba (PR), Guarulhos (SP), São Paulo (SP) e São José dos Campos (SP).

Para Marcelo de Paula, gestor da rede de franquias Dr. Vacina, além da conscientização da população sobre a importância da prevenção de doenças, a expansão das clínicas de vacinação está relacionada com o atendimento humanizado e a qualidade dos produtos oferecidos nas unidades.

“O crescimento das franquias do Dr. Vacina acontece por conta da credibilidade dos nossos serviços e produtos. Nós oferecemos vacinas dos melhores e mais respeitados laboratórios de todo o mundo e isso faz diferença”, pontua.

A primeira clínica do Dr. Vacina foi inaugurada em março de 2017 na Apice em Sorocaba (SP) No ano seguinte, foi a vez de Cerquilho (SP) ganhar uma unidade. Em 2019, Sorocaba ganhou a segunda clínica de vacinação no Shopping Granja e a última inauguração ocorreu neste ano, com a unidade de Salto (SP).

Pandemia
Detectado pela primeira vez em 2019, o coronavírus se espalhou pelo mundo, causando a Covid-19, uma infecção respiratória aguda causada pelo vírus SARS-CoV-2, potencialmente grave, de elevada transmissibilidade e de distribuição global, que já fez milhares de vítimas fatais.

Desde a sua descoberta, laboratórios correm contra o tempo para o desenvolvimento de vacinas contra o coronavírus. Essa preocupação também despertou a consciência da população sobre a importância da vacinação, não apenas contra a Covid-19 mas também contra outras doenças.
PNI (Plano Nacional de Imunização).

Para tentar conter o avanço das infecções do coronavírus, foi criado o Plano Nacional de Imunização que determinou a ordem de vacinação da população brasileira:

• Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas
• Pessoas com deficiência institucionalizadas
• Povos indígenas vivendo em terras indígenas
• Trabalhadores de saúde
• Pessoas de 80 anos ou mais
• Pessoas de 75 a 79 anos
• Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas
• Povos e comunidades tradicionais quilombolas
• Pessoas de 70 a 74 anos
• Pessoas de 65 a 69 anos
• Pessoas de 60 a 64 anos
• Indivíduos com comorbidades (doenças que favorecem o agravamento da Covid-19)
• Pessoas com deficiência permanente grave
• Pessoas em situação de rua
• População privada de liberdade
• Funcionários do sistema de privação de liberdade
• Trabalhadores da educação do Ensino Básico
• Trabalhadores da educação do Ensino Superior
• Forças de segurança e salvamento
• Forças Armadas
• Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros
• Trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário
• Trabalhadores de transporte aéreo
• Trabalhadores de transporte aquaviário
• Caminhoneiros
• Trabalhadores portuários
• Trabalhadores industriais

Vacina da Gripe
Paralela à campanha de vacinação contra a Covid-19, existe a campanha de vacinação da gripe H1N1, que teve início em abril. O Ministério da Saúde recomenda que todas as pessoas, a partir de 6 meses de idade, sejam vacinadas. O único cuidado é com o intervalo de tempo entre a vacina contra o coronavírus e a da gripe, que precisa ser de 15 dias.

Website: http://www.drvacina.com

Deixe o seu comentário