São Paulo – SP 4/8/2021 – Influência de acontecimentos pontuais impactam o emocional e, consequentemente, encurtam o fluxo de vida dos fios, gerando a queda antes do tempo em alta escala

Pesquisa realizada pelo Journal of the American Academy of Dermatology indicou aumento de 400% nos casos de queda de cabelo desde o início da atual crise sanitária; transtornos emocionais gerados pelo isolamento social são apontados como possível causa por especialistas

De acordo com dados disponibilizados em um estudo publicado pelo Journal of the American Academy of Dermatology, a ocorrência da queda capilar cresceu 400% desde o início da pandemia de Covid-19. Diante deste cenário, outros estudos têm sido realizados para tentar compreender a relação atual crise sanitária com a recorrência do problema – que pode ser um “efeito colateral” do momento atual.

Isso porque, de acordo com pesquisa feita pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), foi possível notar que, nos últimos meses, 80% da população brasileira identificou traços de ansiedade. Os entrevistados relataram diferentes sintomas: 65% dos participantes disseram ter apresentado sentimento de raiva; 63% desenvolveram sintomas somáticos, como sensação de dor, mal-estar gástrico ou outros sinais que resultam de um quadro de ansiedade; além de 50% terem mencionado alteração do sono.

Com o aumento dos transtornos emocionais, a saúde física também passa a ser impactada, apresentando alguns sinais: um deles é a queda capilar, que pode aumentar de forma significativa.

“Podemos definir o momento atual como um eflúvio sazonal. Nestes casos, a influência de acontecimentos pontuais – no caso, a pandemia – impactam o emocional e, consequentemente, encurtam o fluxo de vida dos fios, gerando a queda antes do tempo em alta escala”, explica André Lopes, diretor da Capila Care.

Ainda assim, a Covid-19 não é descartada como causa da queda capilar: pesquisas feitas por universidades nos Estados Unidos, México e Suécia, analisaram cerca de 48 mil pacientes que contraíram o SARS-CoV2 e notaram a perda de cabelo como o quarto sintoma mais comum, presente em 25% dos recuperados.

Cuidados para a saúde capilar

“Especialistas dizem que o normal é perder cerca de 50 a 100 fios de cabelo diariamente, mas ao notar a queda em grande volume, é importante procurar por apoio de quem entende do assunto”, diz Lopes, que acentua que só é possível buscar a solução para a queda capilar a partir do diagnóstico certo.

E, para isso, muitas vezes é preciso realizar uma avaliação completa, já que diversos fatores podem influenciar a saúde dos cabelos. “No caso de situações de extremo estresse, o emocional compromete o sistema circulatório periférico, e, assim, afeta a fixação dos fios. Outro fator são as altas taxas de hormônio cortisol no organismo, que geram estresse agudo. Com isso, o organismo acelera a produção de estriol, substância que impede a entrada de nutrientes na região capilar e consequentemente, interfere no crescimento dos cabelos”, prossegue.

Por fim, o empreendedor ressalta que existem, ainda, muitos outros fatores e riscos que o estresse pode gerar para a saúde capilar, indicando opções de controle da situação. “É importante cuidar da saúde física e mental, priorizando atividades que liberam serotonina. Além disso, ter acompanhamento especializado e priorizar o consumo de nutrientes e vitaminas necessárias para o fortalecimento capilar pode ajudar. Com as ferramentas corretas, os resultados serão eficazes”, finaliza.

Para saber mais sobre vitaminas capilares, basta acessar: www.capila.com.br

Website: http://www.capila.com.br

Deixe o seu comentário