Jaboticabal, SP 18/5/2021 – Isso nos incentiva a continuar acreditando em nossos valores, como a Sustentabilidade, reassumindo nosso compromisso de buscarmos sempre as melhores práticas

O empréstimo do BNDES, no valor de R$ 100 milhões, foi destinado à Usina Santa Adélia, primeira empresa do setor sucroenergético a receber o aporte no âmbito do Programa RenovaBio.

O BNDES acaba de fornecer o primeiro empréstimo para financiar empresas por meio do programa RenovaBio, que visa auxiliar o setor de biocombustíveis na tarefa de descarbonização da economia brasileira. São R$ 100 milhões destinados à unidade produtora de biocombustíveis de Jaboticabal da Usina Santa Adélia.

Esta é a Primeira Operação ESG Linked Loan do BNDES para o Setor Agropecuário/Sucroenergético, e o financiamento possibilitará à empresa intensificar seus esforços para melhoria de eficiência operacional.

A concessão de crédito financeiro está alinhada aos critérios de ESG, que considera aspectos ambientais, sociais e de governança corporativa, e busca estimular a redução de emissões de carbono ocasionada pelo uso de combustíveis fósseis.

O programa incentiva a produção e utilização de combustíveis renováveis em detrimento dos de origem fóssil, ou seja, aquelas empresas que contratarem recursos no âmbito do RenovaBio e que, ao longo do período de pagamento dos empréstimos alcançarem as metas de redução de emissão de CO2 estipuladas pelo programa, terão como benefício a redução na taxa de juros do financiamento.

“Estamos muito orgulhosos de recebermos a primeira operação ESG Linked Loan do BNDES, aprovada no âmbito do setor Agropecuário e Sucroenergético. Além do crescimento e desenvolvimento que tais recursos propiciam, isso nos incentiva a continuar acreditando em nossos valores, em especial o da Sustentabilidade, reassumindo nosso compromisso com nossos stakeholders e com a sociedade, de buscarmos sempre as melhores práticas em termos de ESG”, destaca o Superintendente da Santa Adélia, Norberto Bellodi.

“A aprovação dessa operação é emblemática para o BNDES, pois inaugura uma nova forma de apoiar o desenvolvimento do setor de biocombustíveis, mais ágil e simplificada, e com incentivo para o aumento de eficiência produtiva e ambiental”, destaca o superintendente da Área de Indústria, Serviços e Comércio Exterior do BNDES, Marcos Rossi.

“A criação desta linha por parte do BNDES fortalece sua diretriz e prática de fomento ao desenvolvimento sustentável, e, para nós, da Santa Adélia, ser a primeira empresa aprovada em uma operação desta espécie, fomenta esse propósito junto a toda nossa equipe”, finaliza o diretor administrativo e financeiro da Santa Adélia, Márcio Iva Lazarini.

 

Produção Limpa

O Programa Renovabio representa uma nova política para biocombustíveis, tornando o mercado de etanol mais competitivo e diminuindo as emissões de gases de efeito estufa, por meio do estabelecimento de metas de redução de emissão de carbono.

Website: http://site.usinasantaadelia.com.br

Deixe o seu comentário