Rio de Janeiro, RJ 3/3/2021 – A tecnologia é nossa aliada para melhorar a metodologia de ensino, afirma a diretora do CEL Intercultural School, May Chagas

Crise serviu de inspiração para criação de novo curso que alia tecnologia ao ensino de excelência

A pandemia da Covid-19 obrigou as escolas particulares a se reinventarem. A transformação digital forçada, com o ensino remoto adotado de forma emergencial, mudou a relação colégio-famílias. Para não perder alunos, as instituições ofereceram descontos, flexibilizaram horários, mas também investiram em tecnologia para melhorar a qualidade das aulas.

Levantamento da Urca Capital Partners, empresa de serviços corporativos financeiros que atua no setor de educação, mostra que 150 escolas particulares de pequeno porte fecharam as portas na região metropolitana do Rio de Janeiro desde o início da pandemia. As matrículas também estão em média 25% menores que no início de 2020. 

Se para muitos a transição foi insustentável, outros viram na dificuldade uma oportunidade para empreender e sobreviver à crise financeira. A escola carioca CEL Intercultural School é um exemplo. O colégio identificou a demanda de pais e alunos de outras instituições por aulas remotas eficientes e criou um curso 100% online para este público. Nos últimos três meses de 2020, o programa atendeu 220 alunos, do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º Ano do Ensino Médio. A ideia era resgatar a rotina escolar e rever conteúdos.

A partir da experiência bem-sucedida, a instituição decidiu apostar no formato em 2021 e oferecer uma metodologia eficiente que alia tecnologia à qualidade do ensino. Com o uso da inteligência artificial, a plataforma identifica com mais precisão os pontos de dificuldade dos alunos e aponta caminhos a serem seguidos de forma interativa. O sistema também sinaliza para os professores as questões que geram mais dúvidas para serem trabalhadas nas monitorias. 

“É uma nova forma de estudar. A tecnologia é nossa aliada para melhorar a metodologia de ensino e entregar para os alunos formas mais eficientes para desenvolver o seu potencial”, afirma a diretora do CEL Intercultural School, May Chagas.

Ela explica que o objetivo do CEL Simplifica não é substituir as aulas tradicionais, mas ser complementar, para que os alunos possam recuperar conteúdos perdidos, tirar dúvidas e aprofundar os conhecimentos. “Na plataforma interativa e nas monitorias, ele terá um atendimento personalizado, o que tornará o hábito de estudar mais prazeroso”, pontua May.

Embora compreendam todo o currículo escolar regular, como são cursos livres, serão emitidos apenas certificados de participação, que não têm validade de diploma ou de histórico escolar para efeitos acadêmicos. Informações sobre preços e matrícula estão disponíveis no site: https://simplifica.cel.com.br/

Website: https://simplifica.cel.com.br/

Deixe o seu comentário