São Paulo, SP 4/2/2021 – Ao investir em negócios de impacto social, fundados e geridos integralmente por mulheres, o Instituto contribui para o empoderamento dessas empreendedoras.

O Instituto Nelson Wilians (INW) lançou seu primeiro edital para financiamento de negócios de impacto social 100% fundados e geridos por mulheres.

Dois negócios com fins lucrativos no país serão selecionados, com resultados financeiros comprovados, que receberão aporte inicial de R$ 20 mil cada um. O Instituto busca modelos que visam resultados de transformação social comprovados, além de resultados financeiros. Ao final de um ano, após avaliação, os negócios poderão receber uma doação adicional de R$ 10 mil.

“Queremos potencializar os resultados das mulheres que empreendem com suas próprias empresas, reforçando o compromisso do INW com a redução das desigualdades, sobretudo em relação às mulheres”, explica a advogada Anne Wilians, fundadora e presidente do INW.

“Ao investir em negócios de impacto social, fundados e geridos integralmente por mulheres, o instituto contribui para o empoderamento dessas empreendedoras e o fortalecimento econômico de seus negócios, gerando um impacto positivo em cadeia.”

Para a seleção dos negócios, serão considerados seis aspectos imprescindíveis: propósito bem definido, estrutura legal do negócio, perfil das empreendedoras, estágio atual da instituição, planejamento estratégico e faturamento. Os detalhes de cada um desses critérios estão descritos no Edital.

“O Instituto sabe da importância de reconhecer e acreditar em empresas que promovam impacto social positivo na sociedade, buscando mitigar as desigualdades de gênero. Por isso, este Edital volta-se totalmente para mulheres de negócios sociais formalizados que estejam iniciando seus negócios”, acrescenta Anne Wilians.

As inscrições podem ser feitas até 12 de fevereiro de 2021. O acesso completo ao Edital e o Modelo de Proposta de Planejamento estão disponíveis no link https://inw.org.br/edital-negocios-de-impacto-social/

Website: http://inw.org.br

Deixe o seu comentário