São Paulo 29/7/2021 –

Dispositivo ajuda na redução de acidentes comuns que acontecem nos quartos das pessoas com mais idade

Ao contrário do que se pensa, a imensa maioria de homens e mulheres acima dos 60 anos se acidenta mais na própria residência do que em um passeio ao shopping ou na rua. Segundo a Santa Casa de Maceió, a maior prevalência de acidentes domésticos ocorre no período noturno no próprio quarto do idoso. A ida ao banheiro durante à noite em meio ao sono é o cenário propício. Se levado em conta os efeitos do sono do sono, a penumbra do ambiente, os anteparos e a distância no caminho até o banheiro formam a “receita perfeita para um acidente”.

Para diminuir essa estatística, empresas de tecnologia investem em sistemas de campainhas sem fio e dispositivos de monitoramento tanto no ambiente residencial, quanto em hospitais, clínicas e casas de repouso.

No âmbito residencial, existem as versões que incluem uma pulseira eletrônica importada. Ela funciona como um tipo de sensor de queda, usando a tecnologia do acelerômetro, a mesma que existe nos celulares. Em caso de mal súbito ou queda do idoso, o dispositivo aciona automaticamente a central de comando. O sensor ultrassônico de movimento tem a vantagem de ser preventivo, se bem utilizado e evitar maiores consequências.

A nova solução tem ainda uma variante que pode ajudar muito a movimentação noturnas das pessoas mais velhas. O recurso é instalado no rodapé do quarto e quando alguém se levanta e põe os pés no chão, ou ainda quando uma outra pessoa chega perto da cama, cria automaticamente uma espécie de “tapete de luz”. Trata-se de um sistema de iluminação de LED que só ilumina a área próxima ao piso, não incomodando, portanto, outras pessoas que estejam dormindo no mesmo recinto.

Segurança em ambientes hospitalares

Para hospitais, clínicas e casas de repouso, há disponível no mercado o “sensor de movimento ultrassônico” para monitorar e zelar pela segurança do idoso durante à noite. A tecnologia alerta uma central quando o idoso se levanta de sua cama para ir ao banheiro. Além disso, é útil no trabalho de cuidadoras e enfermeiras, pois em seus locais de trabalho também são frequentes os acidentes.

O objetivo do sensor é tentar evitar o acidente da queda, mas caso ela ocorra, o idoso poderá ser prontamente atendido, evitando que o acidentado fique desassistido por muitas horas ou até mesmo na próxima ronda noturna.

Esse mecanismo é estrategicamente instalado na parede da cabeceira da cama a cerca de 50 cm do travesseiro, de modo que no momento que o idoso se senta para sair da cama, o seu corpo automaticamente aciona o aparelho. O sistema envia ainda um sinal para um painel de LED numa central de chamada ou posto de enfermagem, com identificação do número do leito. É de fato um aviso de emergência, pois é reenviado a cada 15 segundos, enquanto não for apagado pela profissional em serviço no próprio local que chamou.

Outra opção para hospitais e clínica é a chamada “campainha fantasma”. Esta campainha está programada para enviar um chamado para o painel de led a cada 30 ou 60 minutos durante a noite, obrigando a cuidadora se dirigir até a campainha para apagar o chamado. Desta forma são atendidas as regras da ronda noturna.

O usuário recebe um guia de uso que pode ser afixado na parede para ele ter todas as informações necessárias a todo o momento que precisar.

Mais informações: http://psiusemfio.com.br/clinica/

Deixe o seu comentário