São Paulo, SP 27/5/2021 –

Pesquisas recentes confirmam que a suplementação com vitamina D e selênio podem fortalecer a imunidade e auxiliar pessoas que sofrem de doenças como diabetes, esclerose múltipla e até mesmo HIV.

As pessoas com doenças crônicas têm tido cada vez mais atenção dos organismos de saúde, pois a tendência é esse tipo de comorbidade aumentar conforme a expectativa de vida da população cresce. Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgados em 2020, e referentes ao ano de 2019, apontam que as doenças crônicas não transmissíveis ocuparam sete das dez enfermidades que mais causaram mortes no mundo. As mais letais entre as crônicas são doença cardíaca, Alzheimer, diabetes e AVC.

“Essas novas estimativas são outro lembrete de que precisamos acelerar a prevenção, o diagnóstico e o tratamento de doenças crônicas não transmissíveis”, disse na ocasião Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS. 

Mas o que é doença crônica? 

Doença crônica é aquela que não tem cura e que apresenta início gradual, com duração longa e incerta. Além disso, tem múltiplas causas e um tratamento que envolve mudanças no estilo de vida e cuidado contínuo por toda a vida.

Exemplos de doenças crônicas transmissíveis e não transmissíveis, além das já citadas anteriormente, são asma, fibrose cística, pressão alta, esclerose múltipla, cirrose, obesidade, síndrome de down, porte do vírus HIV, entre outras.

Estudos ligam consumo de suplemento à melhora da imunidade de pessoas com doenças crônicas

Inúmeros estudos têm sido feitos, principalmente desde o final da primeira década do ano 2000, para alcançar melhores condições de prevenção e tratamento das doenças crônicas. E alguns tiveram conclusões interessantes, com destaque para suplementação de vitamina D e selênio, conforme se verá adiante.

Naturalmente, a vitamina D é oriunda da exposição direta aos raios solares UVB e ao consumo de peixes gordos (salmão, sardinha, cavala) e certos tipos de cogumelos (shiitake). Ela é essencial para a mineralização dos ossos e sua deficiência está associada a doenças cardiovasculares, osteoporose, câncer, diabetes, doença inflamatória intestinal e vários outros tipos de distúrbios autoimunes.

Já o selênio é um mineral que apresenta o papel importante de antioxidante no organismo humano. Antioxidantes são substâncias capazes de atrasar ou inibir a oxidação das células, protegendo-as da formação de radicais livres, que podem causar doenças, morte das células e envelhecimento. Entre os alimentos que contêm selênio, destacam-se a castanha-do-pará, farinha de trigo, pão francês, frango, arroz, ovos, carne bovina, feijão e queijo.

As deficiências nutricionais nos indivíduos, provocadas pela rotina do dia a dia, falta de exposição ao sol e a adoção de dietas restritivas, leva frequentemente os pesquisadores a testar os efeitos da suplementação de vitaminas e minerais no combate de doenças e síndromes.

Vitamina D contra o diabetes e a esclerose múltipla

Em um deles, batizado de “Vitamina D e função imunológica” e assinado por Prietl, Treiber, Pieber e Amrein na National Library Of Medicine, realizou testes in vitro sobre a suplementação de vitamina D.

Esses testes apontaram efeitos dessa suplementação na função imunológica e na regulação das respostas inflamatórias do organismo, também no caso de doenças autoimunes, especialmente diabetes mellitus tipo 1.

Houve evidências contundentes de que a suplementação de vitamina D pode, inclusive, proteger o organismo humano contra o desenvolvimento desse tipo de doença crônica.

Outro estudo, feito por 18 meses com 38 pacientes com diabetes mellitus tipo 1, percebeu que a perda das funções das células do pâncreas que produzem insulina foi atenuada durante o ensaio clínico, onde houve a suplementação de vitamina D.

Por outro lado, os estudiosos lembraram que a falta de vitamina D no organismo está diretamente associada ao maior risco de se desenvolver a esclerose múltipla. A enfermidade, caracterizada pela inflamação das células do sistema nervoso central, provoca fadiga e perda dos movimentos.

Quando a suplementação de vitamina D foi testada em pacientes com esclerose múltipla, observou-se redução da atividade da doença, o que mostra que o consumo adicional de vitamina D, nas doses recomendadas, pode ser uma terapia complementar.

Selênio contra HIV

A suplementação de selênio, por sua vez, mostrou-se eficaz na inibição da progressão dos efeitos do HIV no organismo. Quando não tratado corretamente com os antirretrovirais, o HIV pode evoluir para Aids. 

Estudo conduzido por Stone, Kawai, Kupka e Fawzi, da Escola de Saúde Pública de Harvard, sob o título “O papel do selênio na infecção pelo HIV”, identificou em ensaios clínicos que a suplementação de selênio em portadores de HIV reduziu hospitalizações, casos de diarreia e melhorou as contagens das células de defesa do organismo.

Em um dos casos citados, 186 pessoas com HIV receberam suplementação diária de selênio por dois anos. Ao final, foi observada redução do número de internações hospitalares e redução de custos relacionados à saúde. 

Em outro ensaio clínico, desta vez com 262 indivíduos soropositivos, o grupo que recebeu suplementação de selênio teve aumento significativo na contagem das células de defesa do organismo e uma diminuição da carga de HIV no corpo. O tratamento foi realizado durante nove meses.

Resultados comprovados de suplementos de vitaminas e minerais levaram ao aumento do consumo

Levantamento recente realizado pela Abiad (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres) mostrou que 48% dos brasileiros afirmaram ter aumentado a ingestão de multivitamínicos. E 63% dos pesquisados, entre as quais pessoas com doenças crônicas, afirmaram que o motivo foi a busca pelo aumento da imunidade.

Há várias opções disponíveis no mercado para a suplementação de vitaminas e minerais. Também existem opções de suplementos focados na imunidade.

O Bio Defend, por exemplo, é um suplemento que combina vitaminas B, C e D e os minerais zinco e selênio com o objetivo de fortalecer a imunidade do corpo.

Bio Defend é um suplemento isento de registro na Anvisa conforme a RDC 27/2010.

 

 

Website: https://biodefend.com.br

Deixe o seu comentário