10/5/2021 –

As técnicas fisioterapêuticas têm papel importante no controle e tratamento da dor, para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Principalmente para evitar o uso crônico de analgésicos e anti-inflamatórios; que além de trazerem diversos efeitos colaterais, combatem a situação momentânea, não tendo efeito a longo prazo.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca de 55% das pessoas convivem com dores musculares. As consequências das lesões e dores limitam ou dificultam os indivíduos em suas atividades diárias. As dores podem ser um alerta de que algo mais grave necessite de mais atenção, e que o corpo está buscando se proteger. Podendo coincidir com outro tipo de dor, a psicológica; decorrente de algum trauma anterior. A cinesiofobia explica isso como o medo do paciente de se movimentar por já ter experimentado uma dor prévia.

O resultado mais negativo das dores é que limita os movimentos, e tais conclusões podem ser adventos de sedentarismo também, sendo importante ter alguns cuidados com a saúde, investindo em práticas que incentivem maior vitalidade.
Afinal, o que é dor propriamente dita? É entendida como um sintoma, um sinal importante, mas não uma doença. Por isso repercute nas esferas física e emocional, por se tratar de uma experiência desagradável.

Embora esteja geralmente associada à lesão real dos tecidos, existe o agravamento da sua perspectiva quanto o que está se vivenciando por ser desconfortável, e nisso consiste a colaboração psicológica quanto a um quadro de dor acentuado, por ser uma resposta subjetiva de vivências individuais, resultantes da cultura, hábitos etc.

A dor é essencial como mecanismo de defesa, sendo um sinalizador de que algo está errado, principalmente em exames físicos, tornando evidente para o profissional de saúde o local agravado. Mas pode se tornar um fator prejudicial para o dia a dia, afetando a saúde física e social do indivíduo.

As técnicas fisioterapêuticas podem ter um papel importante nesse tipo de situação, tendo intervenções menos dolosas que terapias medicamentosas, podendo ser adequado como tratamento principal; para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Principalmente para o uso crônico de analgésicos e anti-inflamatórios; que além de trazerem diversos efeitos colaterais, combatem a situação momentânea, não tendo efeito a longo prazo.

Pode ter uma variedade infinita de causas, mas refletiremos neste artigo as causas da dor posteriores a condições médicas como traumas, cirurgias, inflamações, infecções, queimaduras entre outras.

A fisioterapia é uma poderosa aliada no combate aos desagradáveis transtornos da dor, assim como as limitações resultantes. Sendo um tratamento versátil que contribui por exemplo: na melhora de amplitude de movimentos, reduz quadros inflamatórios, previne e trata deformidades articulares; eleva força muscular, e o mais importante é que possibilita a realização de atividades diárias de maneira independente.

Outro recurso colaborativo são tecnologias especializadas no combate da dor. A fisioterapia conta com avanços significativos de técnicas aprimoradas para resultados mais eficazes nos pacientes.

• Ultrassom: reduz a sensação de dor após traumas e cirurgias; gerando aquecimento controlado na parte interna da região tratada;

• Laser: através de luz amplificada reduz o tempo de tratamento acelerando a cicatrização de feridas; no tratamento de úlceras, doenças degenerativas ou inflamatórias;

• TENS – Transcutane Electric Nerve Stimulation (Estimulação Nervosa Elétrica Transcutânea), consistindo no uso de pequenos estímulos elétricos nos músculos; aliviando diversos tipos de dores e reduzindo atrofias musculares. Alguns equipamentos nacionais como o Neurodyn Portátil e o Neurodyn II já possuem essa corrente.

O trabalho da fisioterapia no desenvolvimento da ciência é amplo e crucial para que a medicina se desenvolva, principalmente nos tópicos de reabilitação, prevenção e prognóstico de diversas patologias na área da saúde.

Website: https://www.hsmed.com.br/neurodyn-portatil-tens-fes-burst-2-canais-ibramed

Deixe o seu comentário