São Paulo,SP 18/5/2021 –

Na SEP o crédito acontece por meio de fintechs que conectam pessoas e empresas que estão buscando crédito a investidores que poupam dinheiro e buscam retorno financeiro.

O empréstimo entre pessoas físicas ocorre por meio das SEP’s (Sociedade de Empréstimo entre Pessoas). Essas fintechs têm por objetivo conectar dois grupos de pessoas físicas: tomadores de empréstimo e investidores.

Todo o processo – da solicitação à aprovação – é feito digitalmente. Dentre os muitos benefícios desse tipo de transação, dois se destacam: empréstimo com juros baixos para quem solicita e retorno com rentabilidade alta para quem empresta. Contudo, antes de tomar um empréstimo nessa modalidade, é importante saber mais detalhes:

O que é uma Sociedade de Empréstimo entre Pessoas físicas?
As SEP’s são organizações que tornam viável o empréstimo entre pessoas físicas. Todo o processo é bastante seguro, pois são regulamentadas e autorizadas pelo Banco Central. Criam uma ponte entre aqueles que precisam de crédito e as pessoas que têm algum dinheiro para investir, trazendo também benefícios para os dois lados.

Quem toma o empréstimo pode pagar com juros mais baixos do que os cobrados por bancos e financeiras convencionais. Já os investidores – aqueles que emprestam o dinheiro – têm um retorno muito maior do que se aplicassem em uma caderneta de poupança. Em resumo, os dois lados participantes da transação obtêm vantagens.

Como tomar empréstimo em uma SEP?
Para obter um empréstimo nessa modalidade é necessário escolher uma fintech, realizar o cadastro e solicitar a quantia. No ato do cadastramento devem ser apresentados alguns dados pessoais que serão mantidos no mais absoluto sigilo. Após esse primeiro momento, a empresa analisa os dados financeiros do solicitante.

A classificação é feita para indicar ao investidor qual o risco do investimento. Por exemplo, se o solicitante do empréstimo paga suas contas em dia, é avaliado com baixo risco de inadimplência. É muito importante frisar que a fintech não aplica nenhum dinheiro na transação, ela só serve como plataforma para conectar a pessoa física que quer tomar o empréstimo àquela que quer emprestar.

Após a avaliação de risco, basta esperar alguém disposto a investir. Neste ponto do processo, os dois lados podem fazer simulações para saber detalhes como: a taxa de juros a ser paga, rentabilidade do investimento, valor do pedido, número de parcelas, entre outras informações. Se os dois lados aceitarem os termos, basta fechar negócio. O investidor disponibiliza o dinheiro – que cai na conta do solicitante de forma rápida e totalmente digital.

Segurança e transparência

Uma das SEPs que mais cresce no mercado atualmente é o Bullla, uma fintech que viabiliza o empréstimo entre pessoas físicas. Facilitando o processo, com menos burocracia e maior comodidade, o Bullla permite que as transações sejam feitas de forma online e com maior segurança. Tudo isso juntamente com o mais importante: crédito fácil, rápido e com juros mais baixos.

Mais informações em www.bullla.com.br.

Website: https://www.bullla.com.br/

Deixe o seu comentário