Curitiba, PR 3/9/2021 – Hoje, nosso sistema captura a maioria dos dados sem a intervenção humana, minimizando erros, e em segundos conseguimos gerar relatórios”

O BI também vem sendo chamado de Analytics, justamente porque favorece a confecção de relatórios e a análise de todos os dados da empresa com poucos cliques.

Uma pesquisa do BARC Research Center aponta que entre as prioridades dos empresários em 2021 está a descoberta de dados e o gerenciamento da qualidade das informações, colocando investimentos em business intelligence (BI), a chamada inteligência de mercado, como uma forte tendência deste e dos próximos anos. Mas, o interesse em BI não é de agora. O mercado global de business intelligence vem crescendo ano a ano. Só em 2020, mesmo em meio à pandemia, cresceu 5,2%, atingindo US$ 19,2 bilhões segundo um estudo da International Data Corporation (IDC).

O BI também vem sendo chamado de BA, ou business analytics, justamente porque favorece a confecção de relatórios e a análise de todos os dados da empresa com poucos cliques. Na operadora logística paranaense Cargolift, por exemplo, que implantou uma ferramenta de BA há pouco tempo, o sistema já está programado para gerar cerca de 500 relatórios. “Antigamente trabalhávamos com diversas planilhas, era preciso digitar e cruzar dados muitas vezes manualmente. Hoje, nosso sistema captura a maioria dos dados sem a intervenção humana, minimizando erros, e em segundos conseguimos gerar relatórios com informações confiáveis e em tempo real”, destaca o CFO (diretor financeiro) da Cargolift, Rafael Mansur. 

Entre os relatórios gerados pelo sistema estão dos mais simples, como o tempo de uma viagem por rota, aos mais detalhados, como o consumo de pneus por carreta. “Na logística, se antes perder uma hora era prejudicial à empresa, hoje temos condições de brigar pelos minutos, pois sabemos onde estão os gargalos”, afirma Mansur.

Facilidade para a empresa e os colaboradores

No setor logístico, um dos maiores problemas é o tempo de espera para o carregamento e o descarregamento dos caminhões. Muitas vezes as filas para este serviço atrasam as viagens e fazem com que os custos fiquem mais altos para o transportador. Pensando também nos motoristas dos caminhões, a operadora logística disponibilizou para eles o acesso a algumas funcionalidades do sistema integrado. “Nossos motoristas sabem exatamente, pelo aplicativo do celular, a hora que precisam chegar para entregar os produtos ou para carregar as carretas. Além disso, todo o processo de notas fiscais, por exemplo, é digital e não há mais a necessidade de se esperar o lançamento manual dessas informações. Toda vez que um caminhão fica parado mais que o necessário em determinada planta, não estamos sendo eficientes, e isso eleva custos para o negócio, exatamente o que não queremos”, afirma o CFO.

Auxílio na visualização de dados

Por ser personalizável, o sistema utilizado pode integrar novos dados e gerar novos relatórios sempre que necessário. “É possível verificar os relatórios também por meio de gráficos, o que facilita a compreensão. A programação por trás ajuda na produtividade da equipe, tendo em vista que uma vez feita estará sempre certa, não há o risco de errar fórmulas ou se esquecer de somar uma célula, por exemplo”, afirma o cientista de dados e responsável pelo painel de controle da ferramenta, Robson Candeo. Além disso, o sistema possui uma programação de alertas que avisa os gestores quando determinadas situações acontecem, como, por exemplo, um veículo ter ficado parado um dia inteiro sem nenhum motivo.

Dentro do novo processo, a operadora logística também precisou investir em treinamento dos colaboradores e na contratação de pessoal especializado em BI. Profissão, inclusive, considerada uma das mais requisitadas em 2021 e promissoras em um breve futuro, segundo a consultoria internacional de recursos humanos PageGroup.

O investimento em todo o processo, que não é revelado, já surtiu efeito. Desde que foi implantada, a solução trouxe mais agilidade nas tomadas de decisões e calcula-se, no curto prazo, até 20% de redução de sua despesa operacional. “Nosso processo de transformação digital iniciou há algum tempo e temos a certeza de que o foco em produtividade e em melhoria de processos foi o que nos fez, mesmo em meio à pandemia de covid-19, conseguirmos fechar novos e importantes contratos”, conclui o CEO da Cargolift, Markenson Marques. 

Website: https://www.cargolift.com.br

Deixe o seu comentário